Assessor internacional de Bolsonaro garante que Brasil não será prejudicado por decisão dos EUA

Eliane Oliveira
Assessor diz que decisão dos EUA não prejudicará o Brasil

BRASÍLIA - O assessor para assuntos internacionais da Presidência da República, Filipe Martins, usou uma rede social, nesta quarta-feira, para assegurar que o Brasil não será prejudicado por ter sido retirado da lista de nações classificadas pelos Estados Unidos como "em desenvolvimento".

Segundo ele, o objetivo dos EUA é limitar o conjunto de países que contam com tratamento mais favorável em decisões decorrentes de subsídios e irregularidades.

"Essa medida não acarreta nenhum impacto ou prejuízo para o Brasil, já que não há nenhuma investigação de subsídios em curso nos EUA sobre produtos brasileiros e tampouco qualquer precisão de que isso possa ocorrer no futuro próximo", assegurou Martins.

Na última segunda-feira, o governo americano decidiu mudar as regras para considerar um país em desenvolvimento ou menos favorecido, nas investigações cujo fim é a aplicação de medidas compensatórias em resposta a subsídios ilegais. Foram excluídos dessa classificação mais de 20 países, entre os quais Brasil, China, Índia e África do Sul. Não houve comunicação prévia às autoridades brasileiras, que disseram ter sido pegas de surpresa.