Assessora de Guedes para reforma tributária decide deixar o governo

Manoel Ventura
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — Assessora especial do ministro da Economia, Paulo Guedes, voltada à reforma tributária, Vanessa Canado decidiu deixar o governo. Ao GLOBO, Canado confirmou que pediu demissão, mas não detalhou o motivo da saída.

Canado afirmou ainda que “encerrou bem” e de “forma muito satisfatória” seu ciclo no Ministério da Economia.

Advogada tributarista, Canado deixará o governo num momento em que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), decidiu dar prosseguimento às discussões da reforma tributária. Ele cobrou do relator da proposta, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), que entregue o seu texto até 3 de maio.

De acordo com integrantes do Ministério da Economia, a saída de Canado já era esperada desde dezembro do ano passado, mas vinha sendo adiada.

A assessora de Guedes foi uma das idealizadoras da proposta do governo que une o PIS e a Cofins, primeira etapa da reforma tributária do governo.

Antes de ir para o governo, ela integrava a equipe do economista Bernard Appy, mentor da reforma tributária de autoria da Câmara dos Deputados, no Centro de Cidadania Fiscal. A reforma da Câmara é criticada pela equipe de Guedes, que vê na proposta a chance de aumento da carga tributária.

Para integrantes do governo, a presença de Canado no governo representava um canal de diálogo com os defensores da proposta da Câmara, que é defendida pelo ex-presidente da Casa Rodrigo Maia (DEM-RJ ). A avaliação agora é que a saída de Canado do governo reforça a resistência do time de Guedes a essa proposta.