Assinada convenção coletiva para trabalhadores do comércio do Rio que não são organizados em sindicatos

A Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) das categorias que atuam no comércio do município do Rio e não são organizadas em sindicatos foi assinada na última sexta-feira (dia 15). Com isso, os valores dos pisos salariais foram corrigidos.

Os empregados que recebem um salário fixo, com tarefas ligadas ao comércio de varejo, como pessoal de escritório e operadores de telemarketing e similares com atribuição de vendas, passam a ter um piso salarial de R$ 1.374, no período de 1º de maio a agosto de 2022. Esse valor, no entanto, vai subir para R$ 1.439, de 1º de setembro de 2022 a abril de 2023.

Os comissionistas, por sua vez, passam a ter uma garantia mínima de R$ 1.510, no período de 1º de maio a agosto de 2022. De 1º de setembro de 2022 a abril de 2023, esse valor sobe para R$ 1.582.

Os empregados admitidos em período de experiência de 90 dias terão pisos de R$ 1.235 (de 1º de maio a agosto de 2022) e de R$ 1.294 (de 1º de setembro de 2022 a abril de 2023).

Ajuda de custo e alimentação

Segundo a Fecomércio RJ, a convenção garante uma ajuda de custo de R$ 33 por mês aos vendedores comissionados puros. Quem trabalha aos sábados, a partir das 14h30, deve receber R$ 27,50 para o lanche. A partir das 18h30, deve-se pagar a mesma quantia para o jantar.

As empresas que oferecem vale-alimentação ou alimentação in natura estão isentas de pagar o valor estabelecido para lanche e jantar.

A convenção foi assinada pelos presidentes da Fecomércio RJ, Antonio Florencio de Queiroz Junior, e do Sindicato dos empregados no Comércio do Rio, Márcio Ayer Côrrea.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos