Assistente social, futura subprefeita da Zona Sul promete reorganizar serviços básicos

Carolina Ribeiro
·3 minuto de leitura

RIO — Cuidar dos 18 bairros e 24 comunidades da Zona Sul, na área que se estende entre São Conrado e Glória, será agora a responsabilidade da assistente social Ana Ribeiro, de 56 anos. Ela foi a indicação do prefeito eleito Eduardo Paes para assumir a Subprefeitura da Zona Sul a partir de janeiro.

Nascida no Morro dos Cabritos e moradora de Copacabana, Ana afirma que está e será atenta às demandas da população. Sua atuação, diz, terá como foco inicial retomar o funcionamento e a qualidade dos serviços básicos para a população, em ações integradas com outras secretarias.

— O desafio de assumir a subprefeitura se dá por tudo que estamos herdando da gestão anterior, o que não está funcionando. Vamos nos empenhar em retomar os serviços básicos como limpeza de ruas e equipamentos públicos, poda das árvores, manutenção e recapeamento de vias, iluminação pública, limpeza de bueiros... — lista.

Apesar de ser estreante no cargo, Ana foi assessora da Subprefeitura da Zona Sul de 2002 a 2012, nas administrações de Luiz Paulo Conde e Cesar Maia. Sua experiência em cargos públicos inclui também o trabalho como assessora de Articulação Social em administrações passadas de Eduardo Paes.

A assistente social acredita que sua experiência no órgão, aliada à história de sua família com a Zona Sul, contribuirá para que consiga bons resultados na gestão da região. Nascida no Morro dos Cabritos, em Copacabana, ela ainda mora com a mãe no bairro e frequenta uma academia de luta na comunidade.

— Mantenho um vínculo forte com os moradores. Minha mãe teve uma atuação muito importante como liderança comunitária, e eu também. Conhecemos muita gente por esse histórico de ouvir e ajudar nas demandas da população — disse.

Após seu nome ser anunciado, Ana participou em meados de dezembro de um café de boas-vindas com representantes de associações de moradores da região. No encontro, ficou combinado que serão encaminhados a ela ofícios com as principais reivindicações dos moradores.

— A subprefeitura será aberta a todos, e estou à disposição dos moradores para ouvir suas demandas — finalizou.

Horácio Magalhães, presidente da Sociedade Amigos de Copacabana, que participou do encontro com a nova subprefeita, afirma que a associação já encaminhou a Ana o documento com suas principais solicitações, incluindo nova intervenção da Fundação Rio-Aguas para acabar com as línguas-negras na praia, a volta do monitoramento da qualidade da areia e do ar, mais ações de acolhimento a pessoas em situação de rua, melhoria da sinalização de pontos de ônibus e faixas de pedestres e a retomada do programa Asfalto Liso para o recapeamento de vias.

— A Ana é conhecida da associação e moradora do bairro. Está demonstrando boa vontade em trabalhar em conjunto com as associações na resolução das demandas dos bairros — comenta Magalhães.

As subprefeituras funcionam como um canal de ligação entre a população e o gabinete do prefeito. A da Zona Sul abrange os bairros de Copacabana, Gávea, Ipanema, Jardim Botânico, Lagoa, Leblon, Leme, Rocinha, São Conrado, Vidigal, Urca, Botafogo, Catete, Cosme Velho, Flamengo, Glória, Humaitá e Laranjeiras. Na atual gestão, elas haviam sido substituídas por superintendências regionais.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)