Associação repudia ato de Diego Ribas, do Flamengo, contra jornalista

A Associação dos Cronistas Esportivos do Estado do Rio de Janeiro (ACERJ) emitiu uma nota em que repudia a conduta do meia Diego Ribas, do Flamengo, contra um jornalista, durante a gravação de uma entrevista com o volante Thiago Maia nas dependências do Ninho do Urubu, nesta terça-feira.

Na ocasião, Diego invadiou a sala de coletiva e constrangeu o profissional com as seguintes declarações:

"O homem das meias verdades. Como que estamos? Que momento! O homem das meias verdades diretamente do Ninho do Urubu... Que momento nós estamos vivendo, Mengão. Vale tudo", provocou o camisa 10, que filmou toda a cena com o seu celular.

A Acerj cobrou um posicionamento do Flamengo, que até agora não se manifestou. O atleta também não falou sobre o assunto após o episódio.

Confira a nota oficial da Acerj

A ACERJ vem a público manifestar apoio e solidariedade ao associado Venê Casagrande, vítima de constrangimento por parte do atleta Diego Ribas, nas dependências do Clube de Regatas do Flamengo.

Manifestamos também pleno repúdio à atitude do referido jogador, que, no local de trabalho da imprensa, fez imagens com celular e agrediu verbalmente o associado, chegando a constranger também o atleta Thiago Maia, que lhe dava entrevistas no momento. Por fim, a ACERJ conclama o Clube de Regatas do Flamengo a tomar providências e cuidar para que nunca mais se repitam fatos como este, que não coadunam com a tradição de gentileza, boa relação e acolhimento do clube com os jornalistas.

Renovação milionária

Diego tem contrato com o Flamengo até dezembro e, por ora, a direção não apresentou proposta para estender o vínculo. O meia de 37 anos chegou ao clube em 2016 e acumula títulos da Libertadores, da Recopa Sul-Americana, da Supercopa do Brasil, da Copa do Brasil, do Brasileirão e do Carioca.

Renovação milionária

Diego Ribas custou ao clube mais de R$ 1 milhão em luvas e comissão quando teve o seu contrato renovado no fim de 2021. Os valores constam no balanço financeiro do terceiro trimestre, divulgado pela diretoria para apreciação de conselheiros, e também publicado no site do Flamengo.

Para ampliar o vínculo do camisa 10 por mais uma temporada, o Flamengo desembolsou R$ 500 mil no que designou como luvas, que são bonificações pela extensão contratual. E pela intermediação do acordo, a empresa 3D Negócios Imobiliários e Intermediações LTDA recebeu a quantia de R$ 674 mil. No total, a operação custou R$ 1174 milhão, mais salários.

Na ocasião da renovação, Diego não teve aumento em seus vencimentos. O Flamengo também gastou com luvas e comissão ao ampliar o contrato com Filipe Luís e Diego Alves. Foram R$ 614 mil, segundo o documento divulgado pelo clube, para ter o lateral esquerdo por mais um ano. No caso do goleiro, foram gastos R$ 302 mil.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos