Associação de servidores do Inep relata proliferação de casos de Covid-19 no órgão e pede trabalho remoto

·1 min de leitura

BRASÍLIA— A Associação de Servidores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Assinep) relatou nesta quinta-feira uma proliferação de casos de Covid-19 no Inep e pediu que a presidência do órgão retome o trabalho remoto para resguardar os servidores.

Em nota divulgada nesta quinta-feira, a Assinep afirma que há "diversas notícias preocupantes sobre casos suspeitos e confirmados de COVID e de H3N2 ocorridos em todas as Diretorias e demais áreas do INEP já nos primeiros dias de 2022".

A associação pede que a presidência do Inep reveja a decisão de retorno presencial de todos servidores e colaboradores. Os servidores pedem que o Inep determine que aqueles que quiserem trabalhar remotamente possam fazê-lo.

Em novembro, os servidores do Inep denunciaram o presidente da instituição, Danilo Dupas, por assédio moral, censura e má conduta na gestão do Inep. Na ocasição, 37 servidores pediram dispensa de seus cargos de coordenação às vésperas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As denúncias foram encaminhadas ao legislativos e a órgãos de controle, como o Tribunal de Contas da União (TCU).

No comunicado, os servidores recomendam que a alta gestão do órgão adote as recomendações como estratégia para proteger a saúde dos funcionários.

"Tais medidas reduzirão o risco de contaminação entre trabalhadores e seus familiares e protegerão a saúde e a vida do quadro profissional do Instituto", diz o texto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos