AstraZeneca diz que mantém processo contínuo para registro de vacina no Brasil após aprovação no Reino Unido

·1 minuto de leitura
Vacina AstraZeneca/Oxford

SÃO PAULO (Reuters) - A AstraZeneca disse nesta quarta-feira que manterá o processo de submissão contínua para pedido de registro de sua vacina contra a Covid-19 no Brasil após o imunizante obter aprovação emergencial no Reino Unido.

Em nota, a companhia disse ainda que trabalhará "de forma transparente e eficiente com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para levar nossa vacina à população brasileira o mais rápido possível".

A Anvisa estabeleceu um procedimento para autorizar o uso emergencial de vacina contra a Covid-19 com o prazo de 10 dias para a análise, mas esta modalidade não foi citada pelo comunicado divulgado pela AstraZeneca, que tem acordo de fornecimento de doses com o governo brasileiro e para futura produção local da vacina pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Na véspera, a presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade Lima, representou a entidade em reunião com a diretora da Anvisa Meiruze Sousa Freitas, informou a agência reguladora.

A Fiocruz será a responsável pela produção no Brasil da vacina desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca e a Universidade de Oxford. A fundação havia dito que enviará o ultimo lote de documentação e pedirá o registro da vacina à Anvisa em 15 de janeiro.

Nesta quarta pela manhã, segundo agenda oficial, a diretora da Anvisa reuniu-se com representantes da AstraZeneca. Por ora, não há detalhes de como foi o encontro.

O imunizante do laboratório é a principal aposta do governo federal para realizar a vacinação contra Covid-19 da população brasileira.

(Reportagem de Eduardo Simões;reportagem adicional de Ricardo Brito)