AstraZeneca diz que vacina contra Covid-19 "não é perfeita", mas salva vidas

Pushkala Aripaka e Ludwig Burger
·2 minuto de leitura
Presidente-executivo da AstraZeneca, Pascal Soriot, durante entrevista à Reuters em Xangai

Por Pushkala Aripaka e Ludwig Burger

(Reuters) - A vacina contra Covid-19 da AstraZeneca não é perfeita, mas terá um grande impacto na pandemia, previu o presidente-executivo da farmacêutica nesta quinta-feira, e a empresa prometeu dobrar os suprimentos e chegar a mais de 200 milhões de doses por mês até abril.

A vacina de duas doses, desenvolvida com a Universidade de Oxford, está sendo alardeada como uma "vacina para o mundo" porque é mais barata e mais fácil de distribuir do que algumas rivais.

Mas sua aprovação rápida na Europa e em outras partes não sanou as dúvidas sobre sua dosagem mais eficaz e o intervalo entre as doses.

Dados do final de semana também mostraram que ela é menos eficaz contra uma variante sul-africana do vírus que se espalha rapidamente, e a empresa está envolvida em uma desavença com a União Europeia por causa de atrasos no fornecimento.

"Ela é perfeita? Não, não é perfeita, mas é ótima. Quem mais está fazendo 100 milhões de doses em fevereiro?", disse o presidente-executivo Pascal Soriot em uma teleconferência sobre a vacina.

"Salvaremos milhares de vidas, e é por isso que vamos ao trabalho todos os dias."

A AstraZeneca disse que espera dados muito aguardados do teste norte-americano da vacina antes do final de março e que tem confiança de que o medicamento oferece uma proteção relativamente boa contra doenças graves e mortes causadas pela variante sul-africana. Os resultados decepcionantes foram em casos mais brandos.

Mas a empresa que se tornou a mais valiosa do Reino Unido no último verão no Hemisfério Norte agora está na sexta posição, algo que alguns analistas atribuem a dúvidas sobre a vacina.

"Dentro de um ano ou dois, olharemos para trás e todos perceberão que causamos um grande impacto", disse Soriot.

As ações da AstraZeneca estavam com alta de mais de 2% no pregão matutino porque a empresa previu um aumento no crescimento da receita neste ano graças à grande procura por suas terapias de câncer e outras mais novas.

A farmacêutica, que prometeu não lucrar com sua vacina contra Covid-19 durante a pandemia, disse que superou as expectativas de vendas do quarto trimestre.

Sua diretriz de rendimentos equivale a um crescimento de 18% a 24%, maior do que os 15% de 2020, mas ficou um pouco abaixo dos 5,10 dólares por ação que analistas estavam esperando, já que a empresa alardeou mais gastos neste ano.

A vacina contra Covid-19 não está incluída nesta diretriz, e a empresa disse que estas vendas serão relatadas separadamente do primeiro trimestre de 2021.

(Por Pushkala Aripaka em Bengaluru em Ludwig Burger em Frankfurt)