Astro de "Liga da Justiça" afirma que diretor excluiu atores negros do filme

Rafael Monteiro
·2 minuto de leitura
Ray Fisher como Ciborgue em "Liga da Justiça" (reprodução)
Ray Fisher como Ciborgue em "Liga da Justiça" (reprodução)

Ray Fisher, o intérprete de Ciborgue no Universo da DC Comics no cinema, segue empenhado em denunciar as falhas de comportamento de Joss Whedon, o seu diretor em "Liga da Justiça" (2017). Depois de acusá-lo de promover um ambiente tóxico no set de filmagem, o ator agora afirmou à revista Forbes que o diretor de excluir atores negros do longa de propósito.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

"O que incendiou minha alma e me forçou a falar sobre Joss Whedon neste verão foi o fato de eu ter sido informado de que Joss ordenou que a pele de um ator negro fosse modificada na pós-produção porque ele gostava da cor. Cara, com tudo que 2020 foi, esse foi o ponto de inflexão para mim", disse Fisher. “O apagamento das pessoas de cor da versão de Liga da Justiça de 2017 que foi aos cinemas não foi um acidente nem uma coincidência."

Leia também

Parte do trecho acima foi retirado, sem explicação, da matéria da Forbes após repercutir nas redes sociais. Na mesma entrevista, Fisher também acusou executivos da Warner de serem abertamente racistas em reuniões. "Os tomadores de decisão que participaram dessas conversas racistas foram Geoff Johns, Jon Berg e o atual presidente do Warner Bros. Pictures Group, Toby Emmerich", afirmou ele.

Em resposta às novas acusações, o representante de Joss Whedon se manifestou. “O indivíduo que fez essa declaração reconheceu que era apenas algo que ele tinha ouvido de outra pessoa e aceito como verdade, quando na verdade uma simples pesquisa provaria que era falso", disse ele. O longa está sendo retomado por Zack Snyder, que precisou ser afastado do projeto por causa da morte da filha, em uma minissérie do HBO MAX.

Prometendo ser ainda mais específico sobre as denúncias que tem feito, Fisher respondeu ainda quem acha que ele está tentando se promover em cima do caso. "Você realmente tem que se perguntar, o que é mais plausível: que eu iria arruinar minha carreira de propósito fazendo declarações sobre figuras poderosas em Hollywood, que, se falsas, poderiam ser facilmente refutadas. Ou algumas pessoas em posições de poder disseram e fizeram coisas terríveis para manter esse poder durante uma fusão corporativa massiva ", finalizou.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube