Astronautas chineses colhem arroz plantado no espaço sideral

Astronautas chineses, ou taikonautas, comemoram o ano novo a bordo da estação espacial chinesa (Xinhua via Getty Images)
Astronautas chineses, ou taikonautas, comemoram o ano novo a bordo da estação espacial chinesa (Xinhua via Getty Images)
  • Astronautas chineses, também conhecidos como taikonautas, tem sua própria estação espacial;

  • Desenvolvimento será útil na hora de realizar missões espaciais a longo prazo;

  • NASA também vem desenvolvendo seus métodos de plantio na gravidade zero.

Pela primeira vez, plantas de arroz foram cultivadas a partir de sementes no espaço, em um grande experimento que pode trazer grandes repercussões para o futuro das missões espaciais de longo prazo.

Astronautas chineses, conhecidos como taikonautas, realizaram o experimento a bordo do laboratório espacial Wentian, que foi lançado em órbita em 24 de julho e está acoplado ao módulo central da estação espacial chinesa Tiangong.

O experimento marcou a primeira vez que os cientistas tentam reproduzir o ciclo da vida completa de uma planta de arroz em um ambiente de gravidade zero, começando por um grão até uma planta madura capaz de produzir suas próprias sementes. Os taikonautas também estão realizando experimentos com a planta Arabidopsis thaliana, um membro da família das mostardas que é frequentemente utilizado para estudar mutações.

“As mudas de arroz estão crescendo muito bem”, disse o professor Huiqiong Zheng, pesquisador do Centro de Excelência em Ciências Moleculares de Plantas da Academia Chinesa de Ciências, jornal ao China Daily.

“Queremos investigar como a microgravidade pode afetar o tempo de floração das plantas em nível molecular e se é possível usar o ambiente de microgravidade para controlar o processo relacionado.”

“Se queremos pousar e explorar Marte, trazer comida da Terra não é suficiente para a longa jornada e missão dos astronautas no espaço”, disse o professor Zheng. “Temos que encontrar uma fonte de alimento sustentável para explorações espaciais de longo prazo.”

Os Estados Unidos tem seus próprios planos de desenvolver o plantio de alimentos em ambientes de gravidade zero, também ligados a programas de explorações espaciais de longo prazo, como as missões Artemis.