Ataque atribuído a jihadistas mata 25 soldados no Mali

Soldado do Mali patrulha a Tumba de Askia, em Gao, em 10 de março de 2020.

Ao menos 25 soldados do Mali morreram nesta segunda-feira na região de Gao, norte do país, em um ataque atribuído a jihadistas, informaram autoridades políticas locais.

Segundo o governo, dez agressores foram "neutralizados" no ataque "terrorista".

Ainda de acordo com as autoridades, no domingo vários terroristas foram "neutralizados" e o Exército recuperou grande quantidade de material durante uma operação na região de Mopti, no centro do país.

O ataque desta segunda-feira atingiu o posto militar de Bamba, e foi mais uma incursão atribuída aos jihadistas, que nos últimos meses mataram centenas de militares do Mali.

"Observamos 23 corpos até o momento e há homens desaparecidos. Levaram equipamento e a instalação foi destruída", revelou um funcionário, que pediu para não ser identificado.

Homens armados chegaram à região no domingo e motocicletas e caminhonetes, e atacaram o posto militar na segunda-feira.

"A população está fechada em suas casas. Há grande movimento de homens armados não identificados. As pessoas estão com medo porque o Exército não vem", disse à AFP um professor local.

Mali tenta conter uma revolta jihadista que explodiu no norte em 2012 e que, desde então, atingiu o centro do país e os países vizinhos de Burkina Faso e Níger.

Milhares de soldados malineses e civis morreram neste conflito, apesar da presença de soldados franceses e das Nações Unidas.