Ataque do Boko Haram no Níger mata 7 soldados e 14 islamitas (exército)

Homem segura um cartaz 'Todos unidos contra o Boko Haram', em protesto aos letais ataques do grupo, em 17 de fevereiro de 2015, em Niamei

Sete soldados e 14 combatentes do Boko Haram morreram na sexta-feira, durante combates travados em uma cidade do sudeste do Níger, atacado pelo grupo islamita armado, informaram neste sábado fontes do exército nigerino.

"Sete soldados nigerinos foram mortos e outros dois ficaram feridos em um ataque do Boko Haram em uma cidade próxima ao Lago Chade, na sexta-feira, por volta das 21H00 locais (18H00 de Brasília)", anunciou o exército em um informe transmitido no sábado à AFP.

"O Boko Haram perdeu 14 integrantes" durante os combates, destacou o texto.

O exército nigeriano, por sua vez, anunciou neste sábado ter recuperado a cidade de Baga, no nordeste da Nigéria, às margens do lago Chade, que tinha sido tomada em janeiro por islamitas, que praticaram ali o pior massacre de civis em seis anos de atividades.

A localidade de Karouga, onde ocorreu a ofensiva com o exército nigerino, fica na fronteira entre o Níger, a Nigéria e o Chade, informou uma fonte da segurança chadiana, que tinha inicialmente mencionado cinco mortos e dois feridos entre os militares nigerianos.

Os 'jihadistas' do Boko Haram quiseram, depois, entrar no território chadiano, perto do Lago Chade, mas a aviação daquele país interveio, destruindo suas cinco embarcações, acrescentou a fonte.

Há duas semanas, o sudeste do Níger é alvo de combatentes do Boko Haram, que lançaram várias ofensivas contra seu território. Cerca de três mil soldados nigerianos estão concentrados na região de Diffa, fronteiriça com o nordeste da Nigéria, reduto dos islamitas.

Há várias semanas, o exército chadiano realiza operações no Chade, no norte do Camarões, assim como no sudeste nigeriano, zonas de combate distantes cerca de 200 km.

Surgida na Nigéria em 2009, a insurreição islamita se estendeu recentemente aos países vizinhos (Chade, Camarões e Níger), que intervêm desde então no conflito.

Desde 2009, o Boko Haram e a repressão ao grupo islamita pelas forças nigerianas deixaram mais de 13.000 mortos e 1,5 milhão de deslocados.

A Nigéria e seus vizinhos - Chade, Níger, Camarões e Benin - entraram em acordo no começo de fevereiro para mobilizar 8.700 homens em uma força multinacional de luta contra os 'jihadistas'.