Ataque com arco e flecha na Noruega parece "ato de terrorismo", diz polícia

·1 minuto de leitura
Policial do lado de fora de loja um dia após ataque letal em Kongsberg, na Noruega

Por Victoria Klesty

KONGSBERG, Noruega (Reuters) - Um ataque com arco e flecha no qual um dinamarquês convertido ao islã é suspeito de ter matado cinco pessoas em uma cidade da Noruega parece ter sido um "ato de terrorismo", disse a polícia nesta quinta-feira.

Investigadores identificaram o suspeito como Espen Andersen Braathen, de 37 anos, morador do município de Kongsberg, onde o ataque ocorreu na noite de quarta-feira.

Um advogado da polícia disse à Reuters que Braathen admitiu ter assassinado as vítimas. Seu advogado confirmou somente que Braathen está cooperando com a polícia e dando um depoimento detalhado.

A polícia estava preocupada com sinais de radicalização do suspeito antes do ataque, realizado com arco e flecha e outras armas, disse uma autoridade policial graduada.

Bandeiras foram hasteadas a meio-mastro em toda Kongsberg após a morte de quatro mulheres e um homem, todos de idades entre 50 e 70 anos. Três outras pessoas, incluindo um policial de folga, ficaram feridas.

Markus Kultima, morador de 23 anos de Kongsberg que trabalha em uma cervejaria, testemunhou parte do ataque.

"Vi um homem vir andando com uma flecha enfiada nas costas", disse Kultima à Reuters, acrescentando que era o policial de folga, que o orientou a ir para casa.

Braathen está sob custódia e se acredita que agiu sozinho, disse a polícia. Na sexta-feira, um tribunal decidirá quanto tempo a polícia pode mantê-lo sob custódia.

(Reportagem adicional de Nerijus Adomaitis, em Oslo, e Jacob Gronholt-Pedersen)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos