Ataque e confrontos deixam 6 mortos e 8 feridos na Caxemira indiana

Srinagar (Índia), 27 abr (EFE).- Pelo menos seis pessoas morreram e outros oito ficaram feridas nesta quinta-feira na Caxemira indiana, em um dia que começou com o ataque de um grupo de insurgentes contra um posto militar indiano, ao qual se seguiu um confronto entre manifestantes e as forças de segurança no distrito de Kupwara.

No ataque contra uma guarnição militar na área de Panzgam, situada ao norte do estado, morreram dois insurgentes e três soldados, enquanto outros cinco integrantes do exército ficaram feridos, informou à Agência Efe o porta-voz militar, Rajesh Kaila.

Após o ataque começou um enfrentamento entre as forças de segurança indianas e manifestantes, um incidente que se saldou com um civil morto e três feridos.

"Manifestantes violentos atacaram com pedras as forças de segurança, que abriram fogo para dispersar o protesto, ferindo um civil" que foi levado a um hospital, onde morreu posteriormente, disse à Efe o inspetor geral da polícia de Caxemira, Javid Gillani.

A fonte policial acrescentou que outros três civis ficaram feridos neste choque.

Os enfrentamentos acontecem apenas um dia depois que o governo regional anunciou a proibição de redes sociais como Facebook, Twitter e WhatssApp, entre outras, durante um mês para evitar a propagação entre a população de supostas "mensagens incendiárias".

Essa região da Índia viveu semanas convulsas desde a realização no dia 9 de abril de eleições locais, que registraram a participação mais baixa em décadas e se saldaram com a morte de pelo menos oito pessoas e mais de cem feridos.

A Caxemira indiana foi palco de constantes enfrentamentos e greves desde 8 de julho do ano passado, após a morte de um jovem insurgente separatista, abrindo passagem a meses de protestos que deixaram cerca de 100 mortos e mais de 10.000 feridos.

Índia e Paquistão mantêm uma disputa histórica por esta região após a partilha do subcontinente indiano em 1947 e sua independência do Império Britânico e travaram três guerras e vários conflitos desde sua separação. EFE