Ataque contra igreja católica no domingo na Nigéria deixou pelo menos 21 mortos

O ataque no domingo contra uma igreja católica na Nigéria, executado por homens armados e com explosivos, deixou 21 mortos e vários feridos, informou o governo local nesta segunda-feira.

Richard Olatunde, porta-voz do governo do estado de Ondo, afirmou que uma explosão com dinamite aconteceu dentro da igreja na cidade de Owo. Em seguida, homens armados abriram fogo pelas janelas durante a celebração de uma missa.

O ataque, que foi denunciado como um "odioso assassinato de fiéis" pelo presidente Muhammadu Buhari, não foi reivindicado por nenhum grupo.

O atentado aconteceu durante a missão da manhã na igreja católica St Francis da cidade de Owo, no estado de Ondo, que geralmente não é afetado por ataques de jihadistas e dos grupos criminosos ativos em outras regiões do país.

No domingo à tarde, o papa Francisco reagiu em um comunicado e afirmou que havia "tomado conhecimento do ataque na igreja de Ondo (...) e da morte de dezenas de fiéis, incluindo várias crianças, durante a celebração de Pentecostes" e que "rezava pelas vítimas e pelo país".

A segurança é um desafio importante para o país mais populosos da África e a maior economia do continente.

Os ataques contra os lugares religiosos têm um impacto particular e aumentam a tensão na Nigéria, de maioria cristã no sul e muçulmana no norte.

Há 12 anos, as forças de segurança enfrentam uma insurreição jihadista no nordeste do país, enquanto grupos criminosos cometem sequestros em larga escala na região noroeste. O centro e sudeste são alvos de grupos separatistas.

pma/joa/ri/an/es/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos