Ataque da Al-Qaeda mata 20 integrantes das forças iemenitas, dizem militares

ÁDEN (Reuters) - Militantes da Al-Qaeda mataram cerca de 20 membros das forças de segurança iemenitas em um ataque na província de Abyan, no sul, nesta terça-feira, disse um porta-voz militar do sul, antes que todos os oito agressores fossem mortos.

Os militantes usaram granadas lançadas por foguetes, armas leves e médias e veículos militares na emboscada em um posto de segurança no distrito de Ahwar, disse Mohammed al-Naqib, porta-voz das forças do Conselho de Transição do Sul (STC), à Reuters.

O principal grupo separatista do sul do Iêmen, STC, que é apoiado pelos Emirados Árabes Unidos, expandiu no mês passado sua presença em Abyan no que descreveu como um movimento para combater "organizações terroristas", especificando a Al-Qaeda.

A Al-Qaeda na Península Arábica (AQAP), com sede no Iêmen, tem usado o conflito entre uma coalizão liderada pela Arábia Saudita e os houthis alinhados ao Irã para aumentar sua influência.

A AQAP tem sobrevivido a uma campanha intensiva ao longo da última década dos militares dos Estados Unidos, da coalizão e dos houthis, aproveitando o caos do Iêmen, as simpatias tribais e as grandes e vazias faixas do sul iemenita.

A coalizão interveio no Iêmen em março de 2015, depois que os houthis derrubaram o governo internacionalmente reconhecido da capital, Sanaa. Os houthis são autoridades no norte, enquanto o governo apoiado pelos sauditas está sediado no sul.

(Reportagem de Reyam Mokhashef)