Ataque a faca deixa uma pessoa morta e duas feridas nos arredores de Paris

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma pessoa morreu depois que um homem fez um ataque a faca em um parque na cidade de Villejuif, nos arredores de Paris, na França.

A polícia atirou e matou o suspeito, que tentou fugir do parque Hautes-Bruyères, em  Villejuif, ao sul de Paris, por volta das 14h (10h no horário de Brasília).

Segundo o prefeito de Villejuif, Franck Le Bohellec, a vítima é um morador da região de 56 anos. "Ele estava passeando com sua esposa quando o atacante se aproximou. Ele quis proteger sua esposa e foi ele quem levou a facada", disse à agência de notícias AFP. Ao menos duas outras pessoas foram feridas gravemente.

As autoridades não forneceram detalhes sobre as circunstâncias do ataque, sobre a identidade do suspeito e não mencionaram se a ação se tratava de terrorismo. 

Nos últimos anos, a França teve um longo histórico de ataques.

Em fevereiro de 2019,  um homem foi morto após ferir quatro pessoas à faca em Canebière, área histórica de Marselha, no sul da França.

Uma pessoa morreu esfaqueada e outras quatro ficaram feridas em um ataque em maio de 2018 no centro de Paris, que foi reivindicado pelo grupo terrorista Estado Islâmico.

Em dezembro do mesmo ano, um ataque a tiros deixou pelo menos três mortos e 12 feridos, em Estrasburgo (França).

Em janeiro de 2015, os irmãos Saïd e Chérif Kouachi invadiram a Redação do jornal satírico Charlie Hebdo, em Paris, e mataram 12 pessoas. No dia seguinte, um comparsa deles matou uma policial, na véspera de adentrar um mercado kosher, fazer reféns e matar outras quatro pessoas.   

Alguns meses depois, em 13 de novembro, uma sequência de ataques na periferia e em bairros boêmios da capital francesa deixou como saldo 130 mortes.

Em 2016, nas comemorações do 14 de julho, em Nice, um homem no volante de um caminhão invadiu uma via à beira-mar reservada naquela data a pedestres e fez 86 vítimas.

Segundo a agência AFP, ataques jihadistas deixaram ao menos 255 mortos na França desde 2015.