Ataque a faca na Ponte de Londres deixa ao menos cinco feridos

O homem que esfaqueou um número ainda desconhecido de pessoas na Ponte de Londres (London Bridge) nesta sexta-feira foi morto pela polícia, em um incidente classificado como terrorista pelas autoridades britânicas. Segundo a imprensa local, ao menos cinco pessoas ficaram feridas, algumas delas com gravidade. Após abater o suspeito, a Polícia Metropolitana bloqueou o acesso ao local.

Em declaração para a imprensa, o chefe da unidade antiterrorista do Reino Unido, Neil Basu, disse que o suspeito tinha um artefato explosivo falso atado à sua veste. O incidente ocorreu pouco antes das 14h (11h da manhã, horário do Brasil) e foi controlado logo em seguida pelas forças de segurança.

Vídeos que circulam na internet mostram um homem que aparenta ser o suspeito sendo imobilizado no chão por cerca de seis civis antes que a polícia chegasse ao local. Eles teriam arrancado a faca do suspeito.

Amanda Hunter estava em um ônibus do outro lado da ponte quando ouviu tiros. Em entrevista à BBC ela contou ter presenciado o suposto agressor sendo alvejado pela polícia:

— O ônibus de repente parou e houve comoção. Olhei pela janela e só vi esses três policiais indo até um homem. Parecia que havia algo em sua mão, não tenho 100% de certeza. Então, um dos policiais atirou nele.

A Scotland Yard pediu que as pessoas evitassem a área. Logo após o incidente, o primeiro-ministro Boris Johnson disse que estava sendo atualizado sobre o caso:

— Quero agradecer à polícia e a todos os serviços de emergência por sua resposta imediata — disse o premier, que cancelou seu evento de campanha na reta final para as eleições do dia 12 para receber atualizações sobre o ataque.

Em entrevista coletiva, o prefeito da capital britânica, Sadiq Khan, disse que o ataque foi um incidente isolado e pediu para que testemunhas que tenham filmado o ocorrido compartilhem suas imagens com a polícia. Ele também agradeceu os civis que arriscaram suas vidas para conter o suspeito.

Um ataque no mesmo local, em 2017, deixou sete mortos e 48 feridos. O crime foi cometido por Youssef Zaghba, de 22 anos, Khuram Butt e Rachid Redouane. Eles avançaram com uma van sobre a calçada da London Bridge, atropelando dezenas de pedestres. Em seguida,  dirigiram até a área do Borough Market, importante zona gastronômica da cidade. Lá, abandonaram o veículo e esfaquearam pessoas pela rua.