Ataque de grupo armado mata 22 pessoas na RD Congo

Sobrevivente de ataque na República Democrática do Congo

Vinte e dois corpos de civis mortos em um novo ataque do grupo armado das Forças Democráticas Aliadas (ADF) na madrugada deste domingo foram encontrados na região de Beni, no leste da República Democrática do Congo, anunciou o administrador do Território.

"Esta noite, o ADF matou civis em Ntombi, a oeste de Mayimoya (território de Beni). Atualmente, 22 corpos foram encontrados", disse Donat Kibwana, administrador do Território de Beni (Kivu do Norte).

"As buscas continuam. As equipes estão mobilizadas para recuperar os corpos, a fim de trazê-los de volta à cidade para enterros dignos", acrescentou.

"Identificamos 13 mulheres entre as 22 vítimas mortas de forma atroz, com facão, por esses bandidos. As vítimas eram agricultores. Esse balanço ainda é provisório", disse à AFP Noella Katsongerwaki, presidente da rede de organizações da sociedade civil do Beni.

No dia anterior, seis civis foram mortos em um ataque à cidade de Beni, uma aglomeração de mais de 200.000 habitantes onde o exército instalou sua sede para lutar contra grupos armados, em particular o ADF.

Originalmente, o ADF era identificado como rebeldes muçulmanos ugandenses instalados em 1995 no leste da atual RDC para realizar ataques contra Kampala.

Atualmente, não estão mais realizando ataques contra o vizinho Uganda e estão estabelecidos entre a população congolesa. São acusados de massacrar várias centenas de civis desde outubro de 2014 na região de Beni.