Ataques aéreos no leste da Síria matam 18 combatentes pró-Irã

(Arquivo) Milicianos iraquianos pró-iranianos desempenham um papel fundamental para ajudar a proteger os dois lados da fronteira Síria-Iraque no vale do Eufrates

Ao menos 18 combatentes morreram no leste da Síria na madrugada de segunda-feira em ataques aéreos contra forças iranianas e milícias aliadas ao regime sírio, informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), que não identificou o autor dos disparos.

"Os ataques aéreos tinham como alvo posições das forças iranianas e das milícias aliadas na região de Bukamal", na fronteira com o Iraque, afirmou a ONG em um comunicado.

"Dezoito combatentes morreram, mas sua nacionalidade ainda não foi determinada", indicou a nota.

O OSDH, que dispõe de uma ampla rede de fontes no país em guerra, não conseguiu identificar o autor dos bombardeios.

Os ataques aconteceram na província de Deir Ezzor, cenário de confrontos complexos que envolvem diversas forças.

Em junho do ano passado, 55 combatentes das forças leais ao regime sírio morreram em bombardeios no extremo leste do país.

Uma fonte americana, que pediu anonimato, atribuiu na ocasião os bombardeios a Israel, mas o Estado hebreu não confirmou a autoria.

O Irã, grande inimigo de Israel, está envolvido militarmente na Síria ao lado do regime de Bashar Al Assad. Israel já anunciou diversas vezes bombardeios em território sírio contra posições das forças iranianas e do movimento xiita libanês Hezbollah, aliado de Teerã e do regime sírio.