Ataques em Aracruz: entenda a dinâmica do crime que deixou três mortos e onze feridos

Na manhã desta sexta-feira, duas escolas de Aracruz, município no Espírito Santo, foram alvo de um ataque cometido por um ex-aluno de uma das instituições. O autor do crime, que deixou ao menos três pessoas mortas, foi identificado como um adolescente de 16 anos. No momento, outras cinco pessoas, três adultos e duas crianças, estão em estado gravíssimo, segundo a Secretaria de Saúde do ES.

Crime: Três professora e duas crianças baleadas por atirador em Aracruz (ES) estão em estado grave

Arma do pai policial, confissão, planejamento: o que se sabe sobre o atirador de 16 anos que atacou escolas em Aracruz, no ES

O autor do crime foi apreendido horas depois, no início da tarde. De acordo com as autoridades, as armas usadas no ataque eram do pai do jovem, um tenente da PM. Ele também usou o carro do pai para se movimentar entre as escolas.

O adolescente, que não teve sua identidade revelada, confessou o crime às autoridades. Segundo contou à polícia, ele planejava o crime há 2 anos. A motivação ainda é investigada.

O que se sabe sobre a dinâmica do crime

Para entrar na Escola Estadual Primo Bitti, o atirador precisou arrebentar o cadeado do portão da unidade de ensino. Vestindo uma farda camuflada e com o rosto encoberto, ele chegou ao local por volta das 9h50 munido de duas pistolas, uma .40 e outra .38.

Próxima ao portão, a sala dos professores foi o primeiro local em que o adolescente entrou e disparou suas armas. Duas professoras da escola morreram e outras nove pessoas ficaram feridas.

Os disparos fizeram com que os alunos deixassem a área da escola correndo, desesperadas. Câmeras de segurança da vizinhança registraram a fuga das crianças na rua Cerejeiras, no bairro Coqueiral, a cerca de 200 metros da entrada principal da unidade de ensino.

Após cerca de um minuto na escola estadual, o atirador deixou o local em um carro modelo Renault Duster, que estava com as placas parcialmente encobertas por fitas adesivas. O veículo pertence ao pai do adolescente.

O criminoso se dirigiu então ao Centro Educacional Praia de Coqueiral, onde realizou um segundo ataque.

Vídeos obtidos pelo GLOBO mostram quando o atirador desce do carro, abre o portão correndo e entra no pátio interno da escola. A imagem do lado de dentro mostra uma funcionária fugindo. Ela deixa um rodo no chão e se esconde em uma sala com porta de vidro.

Quando entra dentro da escola, o atirador primeiro vira para o lado direito e faz um disparo, ainda correndo. Em seguida, ele para e atira novamente. Depois, corre para o fundo da unidade de ensino.

Sua ação no Centro Educacional Praia de Coqueiral durou cerca de um minuto. Uma estudante de 12 anos foi morta. Em seguida, o adolescente entrou novamente no carro do pai e deixou o local em direção à orla de Aracruz.

Quatro horas depois, o jovem foi apreendido pela polícia em sua própria casa, por volta da 14h. Apesar das placas estarem encobertas, alguns números foram identificados pelas autoridades, o que permitiu a localização do endereço da família do adolescente. De acordo com as autoridades policiais, o pai e a mãe do atirador colaboraram para que o filho se entregasse.