Ataques semelhantes ao sofrido pelo TSE nas eleições custam US$ 1000 em redes clandestinas, aponta ONG

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Man installing software in laptop in dark at night. Hacker loading illegal program or guy downloading files. Cyber security, piracy or virus concept.
Esse tipo de compra ilegal pode ser feita na darkweb e até em sites abertos ao público com domínio fora do Brasil (Foto: Getty Creative)

Ataques como o que sofreu o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) durante a manhã do primeiro turno das eleições, no domingo (15), custam apenas 1.000 dólares — cerca de R$ 5.400 — em redes clandestinas de hackers, segundo a ONG SaferNet, que tem parceria com o Ministério Público Federal (MPF) no combate à desinformação.

À pedido do jornal EL País, a ONG realizou um levantamento sobre os ataques feitos ao órgão no domingo (15) e concluiu que o objetivo dos hackers não era roubar informações sobre as eleições, mas sim gerar uma onda de teorias conspiratórias de que todo pleito poderia ser fraudada.

Além disso, levantamento aponta que o ataque pode ter ligação com grupos bolsonaristas investigados no inquérito das fake news e da realização de atos antidemocráticos.

Leia também

De acordo com o jornal, esse tipo de compra ilegal pode ser feita na darkweb e até em sites abertos ao público com domínio fora do Brasil. O pagamento do serviço, que tem um valor pequeno em comparação ao estrago que pode ser feito, é por meio da moeda virtual bitcoin — mais difícil de ser rastreada.

No caso do site do TSE, o ataque foi equivalente a 30 gigabites por segundo durante uma hora. Isso quer dizer que era como se 436.000 computadores tentassem acessar a página do órgão a cada segundo — a ação foi repelida, causando apenas uma lentidão nas informações acessadas no portal.

Segundo levantamento da ONG, o ataque sofrido é um tipo “negação de serviços no qual redes de computadores zumbis, infectados por vírus e manipulados sem que seus donos saibam, tentam promover milhares de acessos simultâneos a um portal com o objetivo de retirá-lo do ar”.