Ataques a sites de Taiwan devem ter vindo de 'hacktivistas' chineses, diz entidade

Por Yimou Lee e Christopher Bing

TAIPÉ/WASHINGTON (Reuters) - Ataques contra sites do governo de Taiwan antes da chegada da presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, nesta terça-feira, provavelmente foram promovidos por hackers ativistas chineses e não pelo governo chinês, disse uma organização de pesquisa de segurança cibernética.

O site do escritório presidencial de Taiwan foi alvo de um ataque distribuído de negação de serviço e chegou a apresentar mau funcionamento, informou o órgão em comunicado.

O acesso ao site foi restaurado cerca de 20 minutos após o ataque. As agências governamentais de Taiwan estavam monitorando a situação, acrescentou um porta-voz.

Um portal do governo e o site do Ministério das Relações Exteriores de Taiwan também foram temporariamente retirados do ar. Em comunicado, o ministério disse que ambos os sites foram atingidos por até 8,5 milhões de pedidos de acesso por minuto de um grande número de IPs da China, Rússia e outros lugares.

Esses ataques funcionam direcionando grandes volumes de tráfego da internet para servidores direcionados em uma tentativa relativamente não sofisticada dos chamados "hacktivistas" para derrubá-los offline.

"São ataques descoordenados, aleatórios contra sites que os hacktivistas chineses usam para transmitir sua mensagem", disse Johannes Ullrich, do SANS Technology Institute, organização de educação e pesquisa em segurança cibernética.

(Por Yimou Lee e Christopher Bing)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos