Apenas missão de reconhecimento da Opaq entrou em Douma ontem, diz Síria

Beirute, 18 abr (EFE).- O governo da Síria reiterou nesta quarta-feira que, até o momento, só entrou na cidade de Douma, alvo de um suposto ataque químico, uma missão de reconhecimento da Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq).

Uma fonte de alta categoria do Ministério das Relações Exteriores da Síria disse à agência de notícias oficiais "Sana" que "uma missão de reconhecimento da comissão investigadora da Opaq entrou depois do meio-dia de ontem em Douma, em Ghouta Oriental".

O objetivo deste primeiro contato foi avaliar a situação de segurança antes da entrada da equipe inteira da Opaq nessa cidade, disse a fonte sem oferecer mais detalhes.

Por enquanto, a Opaq não confirmou essas informações, nem se pronunciou a respeito.

A Síria enviou no último dia 10 um convite à Opaq para que mandasse uma equipe de investigação a Douma para averiguar as denúncias sobre um suposto ataque químico nessa área em 7 de abril.

Depois da chegada da delegação da Opaq a Damasco no fim de semana, os investigadores mantiveram uma reunião com as autoridades sírias para "discutir a cooperação entre ambas as partes para desenvolver a tarefa requerida com precisão, transparência e imparcialidade", detalhou hoje a "Sana".

O embaixador sírio na ONU, Bashar Jaafari, revelou ontem que os especialistas da Opaq entraram em Douma e poderiam começar a investigar o suposto ataque químico nesta quarta-feira.

No entanto, nenhuma fonte informou até agora se a equipe de investigadores já começou seu trabalho.

Jaafari detalhou que a missão da Opaq estudou ontem a situação de segurança no terreno e, se considerasse que havia condições para começar as investigações, as mesmas começariam hoje. EFE