Promotores pedem ordem de detenção contra ex-presidente sul-coreano

Seul, 19 mar (EFE).- A promotoria do Distrito Central de Seul solicitou nesta segunda-feira uma ordem de detenção provisória contra o ex-presidente sul-coreano Lee Myung-bak ao considerar que aceitou mais de US$ 10 milhões em subornos quando foi chefe de Estado entre 2009 e 2013.

O tribunal do Distrito Central de Seul deverá agora escutar os argumentos dos promotores e dos advogados de Lee antes de decidir se aceita a proposta e emite a ordem de detenção.

A promotoria considera que Lee recebeu cerca de 11 bilhões de wons (US$ 10,2 milhões) em subornos procedentes de instituições que vão desde o Serviço Nacional de Inteligência (NIS) à todo-poderosa empresa tecnológica Samsung.

Os promotores submeteram o ex-mandatário conservador a um interrogatório de 21 horas entre quarta-feira e quinta-feira passada.

Lee negou todas as acusações, entre as quais também constam abuso de poder e desvio, e denunciou que a investigação é na realidade uma vingança política liderada pelo atual Governo do liberal Moon Jae-in. EFE