Atentados de 11 de setembro não destruíram a fé na democracia, diz Boris Johnson

·2 minuto de leitura
O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson (AFP/Jonathan Buckmaster)

Os autores dos atentados jihadistas de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos não abalaram a fé "na liberdade e na democracia", disse o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, por ocasião do aniversário da tragédia.

"Embora os terroristas tenham imposto um fardo de dor e sofrimento, e embora a ameaça persista hoje, podemos dizer hoje, com o benefício de 20 anos de distância, que eles não conseguiram abalar nossa crença na liberdade e na democracia", afirmou o conservador britânico em uma mensagem em vídeo que será exibida em um evento em Londres no sábado.

“Não conseguiram dividir nossas nações, nem nos fazer abandonar nossos valores, nem nos fazer viver com medo o tempo todo”, acrescentou o líder, nascido em Nova York.

“O fato de hoje nos unirmos - na dor, mas também na fé e na determinação - mostra o fracasso do terrorismo e a força dos laços que nos unem”, declarou sobre os ataques em que morreram 67 britânicos.

Johnson também fez menção ao retorno ao poder dos talibãs em Cabul, 20 anos após sua expulsão pelos Estados Unidos, que os acusavam de abrigar o líder da Al Qaeda, Osama bin Laden, morto em maio de 2011 no Paquistão.

"Os recentes acontecimentos no Afeganistão apenas reforçam nossa determinação de lembrar aqueles que foram tirados de nós, de valorizar os sobreviventes e aqueles que ainda estão de luto e de manter nossa fé na liberdade e na democracia", afirmou.

O governo britânico disse que julgará os talibãs por suas ações e não por suas promessas.

O chefe da inteligência interna britânica, Ken McCallum, apontou que os acontecimentos no Afeganistão podem ter "encorajado" os extremistas e dado a eles um "estímulo moral", afirmando que seus serviços se mantêm especialmente "vigilantes" contra a ameaça terrorista.

pau-acc/eg/ic/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos