Atirador esportivo mata suspeito de roubo com tiro nos Jardins, em SP

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um homem com licença de CAC (sigla para caçador, atirador desportivo e colecionador) matou um suspeito de roubo a tiros no último sábado (12), nos Jardins, zona oeste de São Paulo. Imagens de câmeras de monitoramento registraram o caso.

Em depoimento à polícia, o atirador de 33 anos afirmou que estava em frente a um carro de aplicativo, acompanhado de um amigo, quando o suspeito chegou em uma moto, aparentemente armado.

Segundo o relato da vítima ao 78º DP (Jardins), os dois foram abordados pelo suspeito, que anunciou o roubo e pegou um relógio de um dos amigos.

Nesse momento, segundo as informações da SSP (Secretaria da Segurança Pública), o atirador sacou uma arma da cintura e disparou contra o suspeito. Em seguida, segue a pasta, os dois amigos entraram em um comércio, onde se abrigaram e chamaram a polícia.

Imagens de duas câmeras de monitoramento mostram os dois amigos desembarcando do carro de aplicativo, mas não sendo abordados de imediato pelo suspeito, que manobra sua moto.

Pelas gravações, os dois homens caminham em direção a uma loja e, na entrada, são abordados pelo suspeito. Em seguida, ele volta até sua moto. Somente após embarcar no veículo, ele aparentemente é ferido, com um tiro pelas costas, caindo no chão em seguida. Ele morreu no local.

Testemunhas tentam socorrer o baleado. As imagens ainda mostram o CAC, instantes após ferir o suspeito, gesticulando com as pessoas, enquanto ainda segura uma arma de fogo, na mão direita.

O caso foi registrado como roubo e legítima defesa. O atirador apresentou a documentação de sua arma, segundo a SSP. A pasta não informou se a arma foi apreendida nem se algum armamento foi encontrado com o suspeito morto.

O porte de arma concedido pelo Exército ao CAC permite o transporte apenas no trajeto de casa, ou local de guarda, até o local de treinamento, como clube de tiro.

No país, o número de armas de fogo nas mãos dos CACs chegou a 1 milhão em julho deste ano. Essas categorias têm sido as mais beneficiadas por normas editadas na gestão Jair Bolsonaro (PL) que facilitaram o armamento da população.