Atirador não mostrou sinais de radicalização

O atirador que matou um policial na noite de quinta-feira na Champs-Élysées, em Paris, tinha um extenso registro criminal, mas segundo as autoridades francesas "não mostrou sinais de radicalização" durante seus 14 anos de prisão.