Atividade física aumenta a imunidade, mas em excesso pode prejudicar a saúde

Evelin Azevedo
·4 minuto de leitura
Márcia Foletto 28-10-2020 / Agência O Globo

RIO — “A diferença entre o remédio e o veneno é a dose”. A afirmação vale também para a atividade física. Estudos mostram que fazer exercícios regularmente ajuda o corpo a manter o sistema imunológico fortalecido. No entanto, errar na intensidade do treino pode acabar surtindo o efeito contrário. E num período pandêmico, isto pode se tornar perigoso.

De acordo com Fabio Ceschini, especialista em fisiologia do exercício e fundador da plataforma Viajando pela Fisiologia, quando fazemos qualquer tipo de exercício, o corpo responde ativando o sistema imune. Após terminar, a imunidade permanece alta — em comparação ao repouso — por cerca de seis horas.

— Quando fazemos exercício, o músculo em contração produz uma quantidade enorme de substâncias chamadas miocinas (proteínas do músculo), e muitas combatem efeitos inflamatórios. Durante e depois do exercício, o que temos é a redução das substâncias inflamatórias e aumento das anti-inflamatórias — explica.

No entanto, quando os exercícios são feitos numa intensidade superior à que seu corpo aguenta, há o risco de o organismo passar a produzir mais substâncias inflamatórias, abrindo portas para infecções.

Foi o que aconteceu algumas vezes com o empresário Paulo Serrano, de 61 anos, que treina corridas e já participou de diversas maratonas.

— Eu treinava de manhã na areia e à noite na academia. Teve um dia que precisei me antecipar e treinar à tarde, e depois fiquei com sintomas de resfriado. Percebi que sempre que passava do meu limite, ficava mais vulnerável à gripe.

Durante a atividade física, o corpo emite alertas de que a intensidade está excessiva.

— Os sinais são claros: tonteiras, queda de rendimento na atividade, velocidade de execução mais lenta e cãibras — lista o personal trainer Roberto Palli.

Além de dosar a atividade física, é preciso também respeitar o tempo de repouso.

— O descanso é um fator primordial para o equilíbrio nas atividades físicas — finaliza Leonardo Peixoto, profissional de educação física e dono da academia Navvii, junto com seu primo Nelson Peixoto.

Entre ser sedentário e fazer exercícios, a segunda opção é sempre melhor. Para reduzir chances de erro, o ideal é contar com a ajuda de um profissional de educação física.

Dez dicas para se exercitar de forma segura e prazerosa

Não tente recuperar o tempo perdido - Dependendo do tipo de da falta de condicionamento físico, uma retomada dos exercícios sem o acompanhamento de um profissional pode desencadear, além da disfunção do sistema imune, sérias lesões musculares. Por isso, pegue leve e não ultrapasse os seus limites.

Treinos aeróbicos - No caso de caminhadas, corridas ou pedaladas, o indicado é praticar 30 minutos diários. Melhor pouco diariamente do que 60 minutos três vezes por semana.

Esforço dividido - Se possível, fracione a sessão de exercício (seja ele musculação, caminhada ou bicicleta) em períodos mais curtos, duas vezes ao dia. Por exemplo, 15 minutos pela manhã e 15 minutos à noite.

Musculação - Em treinos como musculação o ideal é intercalar um dia de atividade física com outro de descanso. Descansar é fundamental para os bons resultados da musculação. E não ultrapassar 60 minutos no dia do treino.

Atenção à intensidade - Evite modelos de exercícios com maior mobilização de massa muscular, como correr em alta velocidade, para evitar a hiperventilação (aumento da frequência de respiração) durante a prática. No caso da musculação, atente-se à quantidade de peso que está sendo usado. Iniciantes devem começar com cargas bem leves.

Protegido contra o vírus - Se você fizer atividade física fora de casa (ao ar livre ou na academia) lembre-se de usar a máscara e higienizar as mãos com frequência usando água e sabão ou álcool gel.

Atente-se aos sinais - Havendo desconforto com a máscara, como tontura e aceleração da respiração, reduza a intensidade da atividade e aumente o tempo de intervalo dos exercícios.

Hidrate-se com frequência - O uso da máscara dificulta um pouco a hidratação. No entanto, tomando os devidos cuidados, como retirar a máscara pelo elástico, se hidrate antes, durante e após a atividade física. A hidratação é muito importante, principalmente no verão.

Tenha uma boa alimentação - Uma alimentação balanceada e rica em alimentos in natura ajuda não apenas nos resultados estéticos da atividade física como também no aumento da imunidade. Por isso, invista também em cardápios naturais e com alimentos da época.

Escolha uma atividade prazerosa - A melhor atividade física é sempre aquela que você gosta de fazer. Se você ainda não tem nenhuma preferida, experimente uma de cada vez e escolha a que mais gostar, pois isto aumenta as chances de você praticá-la na frequência necessária.