Atividade do setor de serviços dos EUA desacelera em abril, mostra PMI

·1 min de leitura
Restaurante em Nova York

WASHINGTON (Reuters) - A atividade empresarial nos Estados Unidos desacelerou em abril, uma vez que os custos crescentes de matérias-primas, combustíveis e mão-de-obra empurraram os preços de insumos para um pico recorde, de acordo com uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira, que também mostrou queda no sentimento no início do segundo trimestre.

A S&P Global disse que seu Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) Composto preliminar dos EUA, que acompanha os setores de manufatura e serviços, caiu para 55,1 este mês, ante leitura de 57,7 em março. Isso refletiu uma moderação da atividade no vasto setor de serviços. Leitura acima de 50 indica crescimento no setor privado.

“Muitas empresas continuam relatando impulso da demanda reprimida durante a pandemia, mas também estão enfrentando desafios crescentes com o aumento da inflação e o aperto do custo de vida, bem como atrasos persistentes na cadeia de abastecimento e restrições trabalhistas”, disse Chris Williamson, economista-chefe para empresas da S&P Global.

O PMI preliminar do setor de serviços caiu para uma leitura de 54,7, de 58,0 em março. Economistas previam repetição da leitura de março neste mês para o setor de serviços, que representa mais de dois terços da atividade econômica dos EUA.

Já o PMI preliminar de manufatura subiu para uma máxima em sete meses de 59,7, de 58,8 em março. Economistas consultados pela Reuters previam que o índice do setor, que responde por 12% da economia, cairia para 58,2.

(Por Lucia Mutikani)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos