Ativista do MTST é nomeado para liderar inédita Secretaria das Periferias: 'Que as quebradas sejam o centro da nossa política urbana'

O governo federal anunciou, nesta terça-feira (24), a criação de uma pasta inédita focada exclusivamente no desenvolvimento urbano e social das favelas brasileiras. A chamada Secretaria Nacional de Políticas para Territórios Periféricos é ligada ao Ministério das Cidades e terá como secretário à sua frente o ativista em moradia e membro do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MTST) Guilherme Simões Pereira, de 37 anos, conforme já publicado no Diário Oficial da União. O morador do Grajaú (SP), e também militante do movimento negro, foi indicado pelo deputado federal Guilherme Boulos (PSOL).

Médica relata drama Ianomâmi: 'Ele não se alimentava há dias. Seus lábios estavam rachados, sua pele seca e pálida'

Patrimônio da União: mais de 200 fósseis brasileiros são vendidos ilegalmente em site no exterior

"Enorme honra e responsabilidade! Agora é trabalhar pra que as quebradas sejam o centro da nossa política urbana. A periferia veio ora ficar!", escreveu Simões, nesta terça-feira, após publicação de sua nomeação como secretário.

A pasta terá como foco o combate às desigualdades nas áreas periféricas, urbanização e regularização de favelas. Ainda não há detalhes sobre como serão feitas essas ações. Sua criação é fruto da demanda de movimentos sociais que participaram da transição de governo e das discussões acerca da estruturação do Ministério das Cidades, de Jader Barbalho Filho.

"Pela 1ª vez na História, o Brasil terá uma Secretaria Nacional das Periferias. E será comandada por um homem negro, morador do Grajaú e militante do MTST!", exaltou Boulos. "Simões vai ser uma voz dos movimentos periféricos em Brasília!", concluiu o parlamentar.