Ativista pró-aborto acusada por organizar protestos na Polônia

·1 minuto de leitura
Protestos na Polônia contra a proibição do aborto no país

Uma das organizadoras das manifestações contra as restrições ao aborto na Polônia foi acusada de colocar em risco a vida de terceiros, informou a promotoria nesta quinta-feira(11).

Marta Lempart, uma das responsáveis pelo grupo "A greve das mulheres", é acusada de causar um "perigo epidemiológico" ao convocar protestos durante o período da pandemia de covid-19, disse Aleksandra Skrzyniarz, porta-voz da procuradoria regional de Varsóvia.

Lempart, que se declarou inocente e se recusou a depor, foi solta.

A ativista também é acusada de insultar e cuspir em um policial, além de "elogiar" ataques a igrejas em entrevista por rádio.

"A suspeita pode ser condenada a até oito anos de prisão", disse a porta-voz.

bo/dt/cls/jz/mb/jc