Ativistas climáticos bloqueiam decolagens de jatos particulares no aeroporto de Schiphol

AMSTERDÃ (Reuters) - Mais de 100 ativistas ambientais vestindo ternos brancos invadiram uma área onde jatos particulares são mantidos no Aeroporto Schiphol de Amsterdã neste sábado e impediram a partida de várias aeronaves sentando-se na frente de suas rodas.

O protesto fez parte de um dia de manifestações dentro e ao redor do aeroporto organizadas pelos grupos ambientalistas Greenpeace e Extinction Rebellion para protestar contra as emissões de gases de efeito estufa e outras poluições causadas pelo aeroporto e pela indústria da aviação.

Nenhum atraso nos voos comerciais foi relatado até o início da tarde.

"Queremos menos voos, mais trens e a proibição de voos desnecessários de curta distância e jatos particulares", disse o líder da campanha do Greenpeace Holanda, Dewi Zloch.

O grupo ambientalista diz que Schiphol é a maior fonte de emissões de dióxido de carbono na Holanda, emitindo 12 bilhões de quilos anualmente.

Centenas de outros manifestantes dentro e ao redor do saguão principal do aeroporto carregavam placas dizendo "Restringir Aviação" e "Mais Trens".

Respondendo ao protesto, Schiphol disse que pretende se tornar um aeroporto livre de emissões até 2030 e apoia as metas para a indústria da aviação atingir zero emissões líquidas até 2050.

A polícia militar encarregada da segurança do aeroporto disse em comunicado que "fez várias detenções de pessoas que estavam nas propriedades do aeroporto sem permissão".

(Por Toby Sterling)