Ativistas fazem mosaico humano em Copacabana por defesa de corais da Amazônia

Rio de Janeiro, 29 mar (EFE).- Centenas de pessoas se reuniram nesta quarta-feira para participar de um mosaico humano organizado pela ONG ambientalista Greenpeace na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, com o objetivo de lutar pela defesa dos corais da Amazônia.

Durante mais de uma hora, as pessoas formaram mensagens gigantes como "Defenda os corais da Amazônia" e "Petróleo não", em uma iniciativa que incluía também a realização de atividades na praia, como ioga e pilates.

O mosaico foi dirigido pelo artista americano John Quigley e contou com a participação de voluntários, curiosos e estudantes de várias escolas públicas do Rio de Janeiro. Os organizadores tinham previsto também que um balão sobrevoasse a praia, mas o vento e a chuva impediram a ação.

O especialista de Energia do Greenpeace Brasil, Thiago Almeida, explicou que é preciso chamar a atenção do mundo inteiro sobre as intenções das petrolíferas mundiais de realizarem buscas por petróleo na foz do Rio Amazonas, onde, no ano passado, se confirmou a existência de uma barreira de corais única no mundo.

"A busca de petróleo traz riscos de vazamentos. Por isso, pedimos que essas empresas abandonem as intenções de buscar petróleo nessa região", disse o especialista.

"É uma região muito complicada para explorar. De fato, de 95 tentativas de produzir petróleo lá, 27 falharam por acidentes mecânicos e nenhuma conseguiu extrair petróleo economicamente viável", explicou Almeida à Agência Efe.

"Não sabemos nem sequer sua verdadeira extensão, não sabemos como funciona, como impacta a mudança climática e já estão querendo explorá-la para encontrar petróleo", denunciou Almeida. EFE