Ativos sob custódia da XP crescem 23% no 4º tri, para R$815 bi

·1 min de leitura
Sede da XP, em São Paulo (SP)

SÃO PAULO (Reuters) -A XP teve aumento de 23% nos ativos sob custódia no quarto trimestre ante mesmo período de 2020, para 815 bilhões de reais, segundo dados preliminares divulgados nesta terça-feira.

O crescimento reflete uma captação líquida de 230 bilhões de reais e uma desvalorização de mercado de 75 bilhões de reais, afirmou a plataforma digital de investimentos.

A elevação foi de 3% em comparação com o terceiro trimestre.

A base de clientes ativos também cresceu 23% ano a ano, para 3,416 milhões, enquanto na comparação mensal a alta foi de 4%.

"A média mensal de adição líquida de clientes caiu 23% de 52 mil no terceiro trimestre para 40 mil no quarto trimestre, impactada principalmente por uma menor ativação na Clear, dado o fraco 'momentum' no mercado de ações", disse a XP.

A captação líquida da XP foi de 48 bilhões de reais de outubro a dezembro, crescimento de 29% sobre o trimestre imediatamente anterior.

No ano, a captação líquida total foi 16% maior ante 2020, enquanto a captação líquida ajustada por custódias concentradas foi de 176 bilhões de reais, avanço de 25%.

Analistas do Goldman Sachs incluindo Tito Labarta escreveram que os dados de ativos sob custódia e de captação líquida ajustada vieram abaixo do esperado, mas que a XP deve manter forte crescimento no negócio principal, mais do que compensando a depreciação dos preços do ativos.

Por volta de 13h16, a ação da XP subia 4,1%, enquanto os BDRs da companhia avançavam 4,3% na B3.

(Por Andre Romani, edição Alberto Alerigi Jr. e Aluísio Alves)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos