Atleta de futevôlei sofre racismo por locutor de torneio

O que deveria ser um campeonato de futevôlei em Maracaju, no Mato Grosso do Sul, se tornou caso de polícia por uma fala racista proferida pelo locutor do evento esportivo. Jonathan David, atleta de 25 anos natural de Maceió, Alagoas, que é campeão sul-americano da modalidade, entrava na arena para a disputa de uma partida quando foi vítima.

Ao ser anunciado, Jonathan ouviu a seguinte frase: "Agora eu quero chamar o monstro. Saiu da senzala, é ele, Jonathan". Vitor Matheus, locutor do campeonato, estava ocupando o cargo de forma voluntária, de acordo com a organização do evento. Ele também estava no local para competir. Um vídeo publicado nas redes sociais mostrou o momento exato.

Leia também:

Em uma rede social, Vitor Matheus publicou um pronunciamento sobre o caso: "Antes de mais nada, quero admitir o meu erro. O que 'narrei' durante a apresentação do ATLETA JOHNATAN não condiz com o que penso e o que vou ensinar a meu filho. Todos sabem que eu NARRO os jogos de forma amadora e não profissionalmente. Infelizmente, agi ERRADO; cometi o grave erro de falar o que falei com a conotação racista. Gostaria de me desculpar com todos, principalmente com o ATLETA E SUA FAMILIA, sem exceção, mas sobretudo com a comunidade afrodescendente. De coração aberto, estou disposto a fazer desse erro um aprendizado honesto e integral. Também quero me desculpar com o CT P67 de Maracaju MS que é uma instituição que desde sempre prega e luta pela igualdade, com meus companheiros de equipe e minha família".

Jonathan David, na última terça-feira, registrou um boletim de ocorrência contra Vitor e deve entrar com um processo judicial contra o homem.