Atletas e políticos lamentam morte de Isabel do vôlei, aos 62 anos

Atletas e políticos brasileiros se manifestaram nas redes sociais para lamentar a morte de Isabel Salgado, aos 62 anos, na manhã desta quarta-feira. A ex-ponteira não resistiu à síndrome aguda respiratória do adulto (SARA), condição clínica considerada rara. Isabel chegou a ser internada no Hospital Sírio-Libanês. A família e o hospital ainda não se manifestaram, mas a informação foi confirmada por amigos próximos.

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva escreveu no Twitter que o pioneirismo de Isabel "'abriu portas para muitas brasileiras". A ex-atleta foi indicada na última segunda-feira para pasta do esporte da equipe de transição do novo governo. Gleisi Hoffmann, presidente do PT e deputada federal pelo Paraná, também se manifestou nas redes sociais.

Em pronunciamento nesta manhã para anunciar novos nomes para o gabinete da transição, o vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin, também lamentou a morte de Isabel, que chamou de "exemplo para todo o país".

– Uma notícia triste, perdemos a Isabel Salgado, campeã esportista do vôlei, um exemplo para todo o país. Fazia parte do nosso grupo técnico do esporte, extremamente envolvida e entusiasmada com a transição. Por isso quero transmitir aos seus familiares, amigos e a todo o mundo esportivo nossos sentimentos e as nossas orações com muito carinho pela Isabel – disse Alckmin.

O governador do Rio, Cláudio Castro, escreveu que o "esporte brasileiro amanheceu de luto" pela perda de Isabel, "que ficou conhecida pela força e liderança".

Já o prefeito na cidade do Rio, Eduardo Paes, compartilhou uma imagem do dia em que a ex-atleta conduziu a tocha olímpica durante os Jogos do Rio, em 2016. Chamando-a de "uma das cariocas mais importes do mundo do esporte", ele afirmou que Isabel orgulhou o país ao "defender e honrar a camisa do Brasil nas quadras".

A também ex-atleta do vôlei Ana Moser, diretora da ONG Atletas Pelo Brasil, chamou a partida repentina de Isabel de "perda irreparável":

O perfil oficial do Flamengo, clube onde a ex-atleta foi revelada e se tornou bicampeã nacional em 1978 e 1980, afirmou que ela "será sempre lembrada".

O Comitê Olímpico Brasileiro também lamentou a morte de Isabel, "craque dentro e fora das quadras". O perfil do COB compartilhou imagens da ex-atleta defendendo a camisa da Seleção Brasileira Feminina de vôlei.

O jornalista e apresentador da TV Globo Pedro Bial fez uma homenagem a Isabel Salgado, de quem era amigo. Num texto comovente, ele lembrou que seu irmão, o técnico de basquete Alberto Bial, disse que ela seria "a maior jogadora do mundo".