Atletas transgénero com participação limitada

A Federação Internacional de Natação (FINA) decidiu limitar a participação de atletas transgénero em provas femininas. De modo a, segundo diz, "proteger a justiça competitiva", o organismo decidiu que apenas as atletas que completaram a transição antes dos 12 anos podem competir.

A medida surge ao abrigo de uma nova política de integração de género da FINA.

Estas decisões surgem quando a natação está a ser abalada pela controvérsia que envolve a nadadora transgénero norte-americana Lia Thomas, estudante de 22 anos que nasceu homem e que se tornou recentemente na primeira nadadora transgénero a ganhar um título nacional universitário.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos