Ato antirracista reúne movimentos negros e religiosos

WALESKA BORGES
·1 minuto de leitura

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Um mês após o assassinato de Beto Freitas em uma loja do supermercado Carrefour, em Porto Alegre (RS), um ato inter-religioso e ecumênico marcará a data neste domingo (20). Vão participar entidades religiosas de diferentes credos e organizações de direitos humanos de todo o Brasil. A transmissão da ação será feita às 11h pelas mídias sociais da Coalizão Negra por Direitos, Twitter e Facebook. Também haverá retransmissão nas redes sociais das entidades que vão participar do evento, entre elas, a Rede Nacional de Religiões Afro-Brasileiras e Saúde. O ato chamado de "Minha Fé é Antirracista -em Defesa de Todas as Vidas Negras" será feito por organizações do movimento negro, religiosas e de direitos humanos. A atividade também retoma o chamado feito pelo movimento social negro no dia 20 de novembro para o compromisso antirracista. De acordo com a organização do evento, o clamor por justiça para João Alberto é também pela manutenção da vida de crianças, jovens, homens e mulheres negras. "É preciso que nos somemos às articulações do movimento social negro, como a Coalizão Negra por Direitos, e exijamos de conjunto a concretude de posturas antirracistas em cada canto do Brasil", diz a organização do ato. Também neste domingo, às 15h, o ativismo social negro em Porto Alegre, juntamente, com amigos e familiares de João Alberto, programam uma manifestação em frente ao Carrefour Passo D`Areia.