Ato na Paulista reúne 8.000 pessoas, diz PM

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
SÃO PAULO, SP, 02.10.2021: BOLSONARO-PROTESTOS - Manifestantes voltam às ruas neste sábado (2) em protestos pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Na foto, manifestação na Avenida Paulista. (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 02.10.2021: BOLSONARO-PROTESTOS - Manifestantes voltam às ruas neste sábado (2) em protestos pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Na foto, manifestação na Avenida Paulista. (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Polícia Militar de São Paulo divulgou que a manifestação contra o presidente Jair Bolsonaro na avenida Paulista reuniu 8.000 pessoas.

Já os organizadores estimaram o público em 100 mil.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, a estimativa "foi realizada a partir do uso de imagens aéreas, análise de mapas e georreferenciamento, determinando a extensão do movimento ao longo da avenida, bem como nas áreas adjacentes".

COMISSÃO ARNS

Membros da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Paulo Evaristo Arns, conhecida como Comissão Arns, participam do ato contra Bolsonaro neste sábado (2) na avenida Paulista. O presidente da comissão, José Carlos Dias, levanta a mão de Margarida Genevois, presidente de honra.

BRASÍLIA

Na capital federal, a manifestação contra Bolsonaro (sem partido) terminou por volta das 18h deste sábado.

A adesão foi menor se comparada aos atos de 7 de setembro a favor de Bolsonaro, mas foi maior que a organizada pelo MBL (Movimento Brasil Livre), que ocorreu em 12 de setembro.

No fim da tarde, os manifestantes chegaram a ocupar as seis faixas da Esplanada enquanto caminhavam em direção ao Congresso.

O ato teve a adesão de movimentos da esquerda, como sindicatos, organizações e estudantis e partidos como PT, PSB, PSOL, PCdoB e PDT.

O principal carro de som do protesto serviu de palco para discursos de políticos locais. Os deputados distritais Leandro Grass (Rede), Fábio Felix (PSOL) e Arlete Sampaio (PT) usaram o microfone para pedir o impeachment de Bolsonaro.

Além de carregarem faixas com críticas ao governo, os manifestantes inflaram um botijão de gás e um saco de arroz com a imagem do ministro Paulo Guedes (Economia) para reclamar do preço dos combustíveis e dos alimentos.

BELO HORIZONTE

A manifestação contra o presidente Jair Bolsonaro terminou em Belo Horizonte por volta das 19h na praça Sete, centro da capital mineira.

Três carros de som foram utilizados pelos organizadores ao longo do percurso, que teve início na praça da Liberdade e passou pelas avenidas Brasil e Afonso Pena.

A Polícia Militar de Minas Gerais não fez estimativa de público. Locutores dos carros de som afirmaram ao longo do trajeto que o ato reuniu 100 mil pessoas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos