Atos antidemocráticos bloqueiam avenida 23 de Maio, em São Paulo

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Aos gritos de "a nossa bandeira jamais será vermelha", manifestantes golpistas ocuparam a avenida 23 de Maio, uma das principais vias da capital paulista, na tarde deste domingo (8). A via foi fechada, segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). Os atos são acompanhados pela Polícia Militar.

No local, entre os cartazes, há frases como "forças armadas salvem o Brasil". Ainda de acordo com a CET, a avenida 23 de Maio é, por enquanto, a única via bloqueada na cidade por atos desse tipo.

Os atos acontecem no mesmo dia que manifestantes golpistas invadiram, em Brasília, áreas do Congresso, do Planalto e do STF (Supremo Tribunal Federal), espalharam atos de vandalismo em Brasília e entraram em confronto com a Polícia Militar.

A ação de apoiadores de Jair Bolsonaro (PL) ocorre uma semana após a posse de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), antecedida por atos antidemocráticos insuflados pela retórica golpista do ex-presidente no período eleitoral.

Neste domingo, a Polícia Militar lançou bombas de efeito moral contra um grupo de centenas de manifestantes. Eles vieram do acampamento diante do Quartel-General do Exército, chegaram à Esplanada e se concentraram inicialmente em frente ao Ministério da Justiça.

A ação de apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) que culminou com a invasão de áreas do Congresso Nacional neste domingo (8) guarda semelhanças com um evento ocorrido nos Estados Unidos que completou dois anos nesta semana.

Em 6 de janeiro de 2021, insuflados pelo então presidente Donald Trump, manifestantes invadiram o prédio do Legislativo americano, em uma tentativa de impedir a certificação da vitória de Joe Biden na eleição de 2020 —o republicano e seus seguidores sustentam até hoje o discurso mentiroso de que o pleito foi fraudado.