Atos pró-Bolsonaro têm discursos antidemocráticos

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA - Parte dos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro presentes aos atos de 7 de setembro, em Brasília, está defendendo medidas antidemocráticas. Com faixas e cartazes, eles pedem intervenção militar no Legislativo e no Congresso.

Um dos principais alvos dos protestos é o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, relator de inquéritos como o que apura a existência de uma milícia digital especializada em disseminação de notícias falsas, no qual Boslsonaro figura como investigado.

Do alto de um carro de som, alguns manifestantes se revezavam em um microfone e pediam a destituição de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). "O Supremo pertence ao povo! O povo que indicou essas pessoas. E as pessoas não estão felizes", gritou um dos apoiaodres do presidente.

Na Esplanada, ao lado do Ministério da Justiça, homens vestidos com roupa camuflada perfilavam para os aplausos de apoiadores de Bolsonaro. Eles cantavam marchas e se diziam da "brigada voluntária brasileira". Com panfletos, incentivavam os passantes a formar uma força paramilitar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos