Atos terroristas: CGU identifica a abertura de 16 processos para apurar envolvimento de agentes do serviço público

A Controladoria-Geral da União (CGU) identificou, até esta segunda-feira (dia 23), a abertura de 16 processos para apurar suposto envolvimento de agentes ligados ao serviço público nos atos terroristas de 8 de janeiro, em Brasília. É o que aponta levantamento feito pelo órgão a pedido da coluna. Do total, dois já foram identificados como servidores federais e serão investigados pelos órgãos em que estão lotados.

Segundo a CGU, até o momento, outros cinco processos passam por avaliação preliminar e outros nove foram arquivados, por ter relação com servidores que já tinham se aposentado à época dos fatos, funcionários terceirizados ou estagiários e que, portanto, não têm vínculo com a administração pública direta ou indireta.

Logo após os atos, a CGU informou que estava recebendo, por meio do canal Fala.br, denúncias sobre suposto envolvimento de servidores federais nas manifestações antidemocráticas. Os casos, então, seriam encaminhados para os órgãos em que os funcionários estão lotados para investigação.

Para facilitar a identificação das denúncias referentes a servidores federais que integraram os movimentos golpistas, a CGU criou o assunto "Atos terroristas de 8 de janeiro", que também facilita o encaminhamento das providências.