Atos terroristas no DF: 58 policiais enfrentaram mais de 1.500 golpistas

Novas imagens mostram algumas dezenas de agentes enfrentando uma horda de invasores

Com baixo efetivo, forças de segurança tentaram conter ação de terroristas pró-Bolsonaro durante invasão no DF - Foto: Joedson Alves/Anadolu Agency via Getty Images
Com baixo efetivo, forças de segurança tentaram conter ação de terroristas pró-Bolsonaro durante invasão no DF - Foto: Joedson Alves/Anadolu Agency via Getty Images

Alertado pelo Serviço de Inteligência de que havia risco de invasão à praça dos Três Poderes em Brasília, o diretor de Polícia do Senado entrou duas vezes em contato com a Secretaria de Segurança do Distrito Federal pedindo reforço policial, no sábado (7) e no próprio domingo, mas o reforço foi negado nas duas vezes.

As informações foram divulgadas pelo programa Fantástico, exibido neste domingo (15) na TV Globo.

O programa também mostrou que o vandalismo golpista na sede dos Três Poderes, em Brasília, e o ataque aos policiais legislativos, no domingo, começou na divisa entre a Câmara dos Deputados e o Senado.

Vídeos exibidos pelo Fantástico mostram algumas dezenas de agentes enfrentando uma horda de invasores para proteger o Congresso Nacional.

Após a invasão, todos os integrantes da Polícia do Senado, mesmo os que estavam de férias e de folga, foram chamados: 58 homens e mulheres tentaram conter uma multidão de cerca de 1.500 golpistas. Eles se agruparam na entrada do Congresso e avançaram por dentro do Senado em direção à divisa com a Câmara, por onde os terroristas entravam.

Enquanto os policiais usam spray de pimenta e bombas de gás lacrimogêneo para afastar os invasores, bolsonaristas extremistas jogavam objetos e disparam jatos d'água contra os agentes.

Durante o confronto, um áudio captado por uma das câmeras acopladas no uniforme dos policiais é possível ouvir ele dizendo que tinham uma pessoa com estilingue.

“Vamos lá, vamos lá. Fechem os escudos! Baixem as viseiras! (...) Tem um cara com estilingue ali, hein? Abaixa a viseira, galera! Abaixa a viseira!”, grita um dos policiais.

A violência e consequentemente o confronto entre os terroristas e os policiais atingiu o ponto mais violento por volta das 16h, durando cerca de uma hora. Às 17h, a Polícia do Senado se posicionou no acesso ao corredor dos gabinetes dos senadores, chamado de “Túnel do tempo”, de onde os terroristas não passaram.