Atos terroristas: preso, dono de hotel para pets abandonou animais com fome e sede

Bichinhos foram encontrados em péssimas condições físicas pelos tutores

Dono de hotel para pets foi preso após participação em atos terroristas - Foto: Reprodução
Dono de hotel para pets foi preso após participação em atos terroristas - Foto: Reprodução
  • Dono de hotel para pets participou de atos terroristas em Brasília e acabou preso

  • Ele abandonou animais, que foram encontrados por tutores com fome e sede

  • Segundo testemunhas, Evandro exibia comportamento agressivo e não tinha cuidado com os animais

Evandro Eugênio de Miranda foi um dos terroristas presos após os atos golpistas realizados no último dia 8 em Brasília. Dono de um hotel para pets, ele abandonou os animais em situação precária.

Apoiador do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), Evandro viajou com a esposa de Brazlândia, também no Distrito Federal, para participar da manifestação violenta ocorrida nos prédios dos Três Poderes.

O casal foi preso pela Polícia Federal após o atentado, o que fez com que os tutores dos animais hospedados na Chácara Solar dos Anjos ficassem sem contato com o rapaz.

“Uma tutora tentava entrar em contato com eles há alguns dias para saber como os animais estavam, mas não conseguia. Até que ela resolveu ir ao local, e os vizinhos contaram que ele e a esposa estavam presos por participarem dos atos terroristas”, disse ao portal Metrópoles a advogada Ana Paula de Vasconcelos, do Fórum de Defesa Animal da Ordem dos Advogados do Brasil, seção Distrito Federal (OAB-DF).

Na última segunda-feira (16), três mulheres, desconfiadas do sumiço de Evandro, decidiram ir à polícia denunciar o rapaz.

Levadas ao hotel para pets, elas tiveram autorização para entrar no local e encontraram cerca de 15 cães e 10 gatos abandonados, com fome e sede.

“Os animais estão muito desnutridos; parece que não comem há meses, e não há uma semana. Os vizinhos disseram que eles estão abandonados desde dezembro do ano passado e que Evandro está com ordem de despejo há algum tempo”, declarou uma testemunha, que não quis ser identificada, ao Metrópoles.

De acordo com as tutoras, o proprietário do hotel nunca havia demonstrado comportamento suspeito. Pelo contrário, costumava enviar fotos dos animais e pedia dinheiro para arcar com a alimentação e medicação dos "hóspedes".

“As rações que ele comprava eram premium, mas as que estavam lá eram de qualidade ruim. Ele trocava as rações para poder lucrar”, comentou a testemunha.

Histórico de violência

Além do descaso com os animais, Evandro também teria exibido comportamento violento com os pets e com sua esposa, segundo informações de um vizinho.

“Parece que os vizinhos têm medo dele e que ele já se envolveu em confusões na vizinhança várias vezes, porque ele espancava a mulher e os cachorros”, comentou a testemunha.

Como se organizaram os atos terroristas em Brasília? A linha do tempo interativa abaixo te mostra, clique e explore:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Obras de arte foram destruídas, itens roubados e o prejuízo ainda é calculado pelas autoridades. Veja a lista completa de obras destruídas nos ataques. Até o fim da segunda (10), pelo 1.500 envolvidos no episódio já haviam sido presos.