Bolsonaro chama pesquisas de "fake news" e diz que vencerá no 1º turno

Presidente Jair Bolsonaro durante motociata em São Paulo na véspera do 1º turno das eleições

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) -O presidente Jair Bolsonaro (PL) chamou de "fake news" as pesquisas divulgadas neste sábado que mostraram o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na frente das intenções de voto para a eleição de domingo, inclusive com a possibilidade de ganhar no primeiro turno, e disse que será reeleito neste fim de semana.

Em transmissão ao vivo pelas redes sociais, Bolsonaro disse que o Datafolha estaria de "brincadeira" com o percentual de votos apontado para Lula, e insinuou que o instituto deveria ser investigado por "fake news".

"Essas eleições aqui a gente fica olhando... fala-se tanto de combate à fake news, esses que combatem, desmonetizam páginas, prendem outras, se preocupar com o Datafolha, falando barbaridade por aí. Quem tem 51% de votos?", questionou.

Pesquisas Ipec e Datafolha divulgadas neste sábado apontam para uma indefinição sobre a possibilidade de Lula vencer ou não no primeiro turno. O Ipec registrou o ex-presidente com 51% dos votos válidos contra 37% de Bolsonaro.

Já o Datafolha mostrou Lula com 50% dos votos válidos, contra 36% de Bolsonaro, o que indica uma indefinição sobre o segundo turno. Um candidato precisa de mais da metade dos votos válidos --que excluem os brancos e nulos-- para vencer no primeiro turno.

Bolsonaro disse que seus apoiadores foram para as ruas espontaneamente, destacando inclusive que teve "recepção de popstar" no Nordeste, região que é um tradicional reduto de Lula.

"A gente não consegue ver outro resultado de que as eleições sejam decididas amanhã com 60%", afirmou, contrariando indicações dos institutos. "Eu nunca vi tanta gente na rua em eleição nenhuma no passado", avaliou.

No total, seis pesquisas divulgadas neste sábado mostraram vantagem de Lula na disputa pelo Palácio do Planalto, inclusive com chances de vitória no primeiro turno. [L1N3120NP]

TRANSPARÊNCIA

O candidato à reeleição aproveitou a live para atacar Lula e dizer que ele e o "pessoal da esquerda" pretendem levar adiante pautas como ideologia de gênero e legalização do uso das drogas. Ele também criticou a gestão de governos de esquerda em outros países na América do Sul, e disse que isso pode ocorrer no Brasil caso o petista vença.

Bolsonaro disse que é preciso ter a "certeza" de as eleições serão limpas no Brasil e que, ao contrário das pesquisas indicando Lula na frente, suas andanças mostram-no "disparado" na sucessão presidencial.

Bolsonaro encerrou a campanha antes da votação de domingo com duas motociatas neste sábado, a primeira em São Paulo e depois em Joinville (SC)

No domingo, o presidente viajará bem cedo ao Rio de Janeiro para votar e voltará até o início da tarde a Brasília para acompanhar a apuração dos votos.

(Edição de Pedro Fonseca)