As atrações de Turim que jogadores do Brasil tiveram oportunidade de aproveitar na folga

A seleção brasileira fez nesta sexta-feira o último treino em Turim, no CT da Juventus, e os jogadores trataram de mobilizar familiares e amigos para curtir o restante do dia de folga na cidade italiana.

Foram programadas idas a restaurantes e pontos turísticos, como a Basílica de Superga, igreja no alto de uma colina, ao fim da praça principal (Castello), famosa por um memorial que lembra a morte de 18 jogadores do Torino e 31 pessoas do clube em um acidente de avião, em 1949.

A tragédia marcou não apenas o time local, mas também ajuda a entender o campeonato italiano e suas rivalidades. O Torino é uma equipe menor e seus torcedores tem rixa acentuada com os da Juventus, o time grande da cidade, onde jogam os brasileiros Danilo, Alex Sandro e Bremer.

Todo dia 4 de maio, os atletas do Torino visitam o memorial na Superga para prestar homenagens, e a cidade se mobiliza para lembrar suas perdas. No local, há uma bandeira da Chapecoense, clube brasileiro que viveu também uma tragédia parecida, com a queda de uma aeronave que levava a delegação para final da Sul-americana de 2016, e caiu, levando a morte de 71 pessoas.

Além do local simbólico, Turim oferece espaços amplos como a praça Vittorio Veneto, próximo ao Rio Pó, que corta a cidade, e diversas atrações históricas. Tais quais o Palácio Real e o Palácio Madama, tudo na região central. Há um torneio de tênis da ATP com estrelas como Djokovic acontecendo em Turim, e atraindo mais atenção que os treinos do Brasil, que são fechados e localizados em área afastada do centro.

Outra atração bastante procurada é a torre Mole Antonelliana, catedral símbolo da cidade de Turim, prédio mais alto da cidade, e que no Brasil é conhecida por fazer parte da logomarca de um restaurante italiano famoso no Rio de Janeiro. O clássico La Mole, entre Juventus e Turim, é o dérbi local. Na catedral, está guardado o Santo Sudário, uma das relíquias religiosas mais famosas e controversas da Itália. Diz-se que esse pano de linho foi colocado sobre o corpo de Jesus após sua crucificação, embora sua autenticidade permaneça em debate.

'Saudade' do Brasil

Os restaurantes da região também são muito bem recomendados, desde os que cercam a praça principal e as Ruas Roma e Garibaldi, até os que desaguam no Rio Pó. Entre eles, há um de comida brasileira, chamado Saudade, que também é frequentado por alguns visitantes, e serve rodízio de carne. Entretanto, muitos preferem as variedades da cozinha italiana em lugares como o Da Michele, Porto de Savona, e alguns mais escondidos, como o Bom Parej. O lateral Danilo, da seleção, é residente em Turim, e recomendou o Casa de Fiore, próximo ao rio. A sorveteria Niva, também na praça Vitorio Venetto, é passagem obrigatória. Fora os chocolates típicos da região de Piemonte, como cremino, e gianduotto, famosos pela composição com avelã.

Deborah Waldmann, publicitária carioca e blogueira do Segredos da Itália, mora em Turim há 5 anos, e deu dicas para os jogadores da seleção aproveitarem o dia de folga na cidade. Confira abaixo:

1. Palacio Real da familia Savoia e jardins reais: imperdíveis a Armeria Reale (sala de armaduras), sala de jantar, salão de baile, sala chinesa e a biblioteca, onde esta guardado o auto-retrato de Leonardo da Vinci.

2. Mole Antonelliana: o prédio-simbolo de Turim tem esse nome porque foi projetada pelo celebre arquiteto Alessandro Antonelli. Foi o prédio mais alto da Europa na época de sua construção. Seria a sinagoga de Turim, mas o projeto teve muitos problemas e o imóvel foi cedido à prefeitura da cidade. Hoje é a sede do magnifico Museu do Cinema

3. Catedral (duomo) de Turim: onde está guardado o Santo Sudário, pano que, acredita-se, envolveu Jesus.

4. Um passeio pelas lindas praças da cidade como Piazza San Carlo (conhecida como a sala de estar da cidade), Piazza Castello, Piazza Vittorio Veneto, Piazza Carlina e Piazza Bodoni.

5. Cafés históricos, como Mulassano, Baratti e Milano, Stratta, Caffè Torino e Al Bicerin, frequentado por Cavour, onde foi inventado o Bicerin, bebida típica que mistura de café, creme de leite e chocolate.

6. Museu Egipcio: foi o primeiro museu egípcio do mundo, criado a partir de uma coleção da dinastia Savoia. Ainda hoje é o mais importante museu egípcio fora do Egito.

7. Quadrilátero Romano: antiga área de colonização romana com a Porta Palatina (parte da muralha que circundava a cidade) e a movimentada Praça 4 de Março para um aperitivo com atmosfera parisiense

8. Tomar um aperitivo: ritual equivalente ao nosso Happy Hour. Os coquetéis vêm sempre acompanhados de petiscos, vale quase como um jantar

9. Comer! Vitello tonnato, agnolotti del plin, tajarin ai funghi porcini ou al tartufo e gianduiotto sao algumas das especialidades da regiao

10. Tomar os melhores vinhos da Italia: Barolo, Barbaresco, Roero e Barbera d’Asti são alguns dos vinhos DOCG produzidos na região Piemonte. Com tempo, é possível visitar a região vinícola, a 1 hora de Turim, e degustar direto dos produtores

11. Monte dei Cappuccini – suba caminhando da Piazza Vittorio Veneto para uma vista deslumbrante da Mole Antonelliana com os alpes ao redor

12. Basilica de Superga – ponto de referência visível de toda a cidade, foi construida em comemoração à derrota de Napoleão. Foi ali o acidente aéreo do time do Torino em 1949.

13. Parque Valentino e rio Po – coração verde da cidade. Ali está o Borgo Medieval construído para a Exposição universal de 1911.