Atriz compra direitos de texto da Broadway e exibe peça: 'Preciso vencer porque outras mulheres pretas vão ver e fazer o mesmo'

Uma das raras mulheres pretas no Brasil a comprar os direitos de um texto da Broadway, Flávia Santana viu sua carreira ganhar novos contornos: antes cantora e atriz, ela agora passou a ser também empreendedora e produtora cultural.

“Eu me identifiquei tanto com o texto que quando vi já estava comprando os direitos juntamente com o Tadeu Aguiar. Não podemos ficar esperando a iniciativa das pessoas produzirem coisas para a gente fazer. O sol nasce para todo mundo, mas a sombra é para poucos”, acredita Flávia.

O texto em questão é o da peça “O Incidente”, que já foi montada na Broadway, ganhou as telas da Netflix num filme homônimo e agora é encenado nos palcos brasileiros, em temporada no Teatro Sesi Firjan Centro. “Assisti ao filme de madrugada, no meu celular, quando o Tadeu me falou. Eu me vi na personagem. Uma mãe de um filho preto, de classe média americana, que some após ser detido pela polícia. O nosso governo precisa entender que o racismo não é somente uma questão econômica, é uma questão de caráter”, define.

Mãe de um menino de 12 anos, Flávia tem consciência que seu ato de empreender não passa despercebido. "Eu preciso vencer porque vão ter outras mulheres pretas que vão querer fazer a mesma coisa e vão saber por onde começar. Meu filho está sempre me olhando para ver minha reação. Essa valentia é muito por ser mãe e de ter um filho preto. Eu sempre falo com ele que numa confusão com polícia no meio, para ele não correr, nem discutir, para fazer tudo o que pedem”, conta.

Kendra, sua personagem em “O Incidente”, enfrenta justamente essa experiência com a polícia. Mãe de um jovem que mora num bairro classe A e estuda nas melhores escolas, ele ganha um carro zero quilômetro do pai e, apesar do poder econômico, sofre racismo ao ser parado com outros amigos pretos numa blitz. "Temos que falar sobre a questão do preto que não mora na comunidade. Às vezes, a pessoa batalha na vida, mora no Leblon e é tratada com racismo mesmo assim. Por isso, achei importante fazer esse texto. Privilégio é mais do que ter dinheiro. É estar numa rua deserta, dar de cara com um carro da polícia e se sentir seguro”, define.

E esse projeto é apenas o começo no empreendedorismo para Flávia Santana, que não pretende parar tão cedo. "Se me der uma oportunidade eu vou lá e faço. Meu objetivo é ser a mulher que eu queria me espelhar quando tinha 13, 14 anos. Uma pessoa para inspirar, assim como a Vilma Melo e a Flavia Oliveira”, resume.

A peça "O incidente'' está em cartaz no Teatro Firjan Sesi Centro até o dia 12 de fevereiro. Às quintas e sextas-feiras, às 19h. Sábados e domingos, às 18h. Ingressos por R$ 40 (inteira).