Atriz comenta reta final de "Pantanal" e despedida de Juma: "Já faz parte de mim"

Alanis Guillen em
Alanis Guillen em "Pantanal" (Divulgação Globo)

Alanis Guillen, intérprete de Juma em "Pantanal", já está se despedindo da personagem que marcou a novela. A jovem comentou que ainda está muito imersa na história de Juma.

"Estou em momento tão imersa na Juma, que estou só vivendo e depois que vou realizar tudo isso. Por ora, está sendo transformador e maravilhoso. É só emoção, mudou minha vida", contou ela ao "Gshow" durante o Rock in Rio.

"Ela veio na minha vida e as coisas são do momento, o ciclo se fecha quando tem que ser. A Juma vai ficar pra sempre em mim: ela fez e vai fazer parte pra sempre de mim", completou a atriz.

Assédio do público

Alanis Guillen está há cinco meses no horário nobre da Globo como uma das protagonistas de "Pantanal", e explicou que precisou se preparar para o nível de exposição que acompanha o papel. O remake da novela está fazendo sucesso nas redes sociais, e a interpretação da jovem tem rendido elogios do público.

"Tento ter controle das coisas mas, quanto mais eu tento, mais percebo que não tenho controle de nada. Estudei muito, me informei e me coloquei em contato com a natureza, saindo um pouco do meu apartamento em São Paulo. Nesses casos, acho que a vida é o que nos prepara. Ainda assim, faço terapia e tento entender como os artistas que eu admiro lidam com toda essa exposição", explicou ela, em entrevista para a jornalista Patrícia Kogut.

No papo, Alanis também falou sobre ter sexualidade fluida, e que não gosta de rótulos ou amarras sociais. "Falar sobre isso e se aceitar faz com que a gente consiga olhar o outro com empatia. E nós, atores que estamos na mídia, podemos ajudar a fortalecer o espectador que nos assiste e dizer para ele que amar uma pessoa fora do espectro heteronormativo não é errado".

Em conversa com a "Glamour", Alanis também falou sobre suas cenas de nudez na novela, e explicou que em momento nenhum se sentiu objetificada. "Em comparação ao primeiro "Pantanal", tem muito menos exposição. A minha relação com isso é tranquila. Estou ali pela Juma e a Juma não tem medo do corpo dela. Ela não vê essa malícia que a gente coloca. A socialização dela é com os bichos livres, a natureza. Ela sente a água bater no corpo inteiro, o sol. E eu também trago um pouco isso. Sou muito sensorial".