Atriz Felicity Huffman é condenada a 14 dias na prisão por suborno para matricular filha em universidade

Por Joe Prezioso en Boston, Laura Bonilla en Nueva York
A atriz americana Felicity Huffman e seu marido William H. Macy a caminho da corte de Boston, em 13 de setembro de 2019.

A atriz americana Felicity Huffman foi condenada nesta sexta-feira por um tribunal em Boston a 14 dias de prisão, após se declarar culpada de pagar 15 mil dólares como suborno para sua filha mais velha entrar em uma universidade.

A sentença, aplicada dentro de uma investigação do escândalo de pagamento de subornos para garantir o acesso a universidades renomadas dos Estados Unidos, não é tão dura como desejava a promotoria, que solicitou um mês de prisão sob o argumento de que não se deve permitir a pais ricos corromper o sistema.

Os advogados da atriz, conhecida pela série de televisão "Desperate Housewives", esperavam uma pena de um ano de liberdade condicional, trabalhos comunitários e multa de 20.000 dólares.

Mas a juíza responsável pelo caso determinou um período mais curto de detenção, multa de 30.000 dólares e 250 horas de trabalho comunitário.

"Gostaria de voltar a pedir perdão a minha filha, a meu marido, a minha família e à comunidade educacional por minhas ações", disse Huffman na corte, chorando. "E especialmente quero pedir perdão aos estudantes que trabalham duro cada dia para entrar na universidade, e aos pais que fazem sacrifícios tremendos para apoiar seus filhos".

Huffman, que acaba de lançar na Netflix a comédia "Otherhood", foi a primeira de cerca de trinta pais processados pelo mesmo motivo a ser sentenciada.

Seus advogados pediram que a pena seja cumprida num presídio de baixa segurança para mulheres do norte de Califórnia.

No total, 50 pessoas foram acusadas pelo escândalo que explodiu em março passado, incluindo 33 pais milionários, administradores de exames de admissão em universidades e treinadores de esportes, segundo o promotor de Massachusetts Andrew Lelling.

Outra celebridade envolvida no escândalo é a atriz Lori Loughlin, da série "Full House", que junto com o marido se declarou inocente e aguarda julgamento.

O chefe do esquema, William Rick Singer, que teria recebido cerca de 25 milhões de dólares em subornos, se declarou culpado e cooperou com as autoridades, inclusive gravando secretamente seus clientes.